Por ser amigos antes de namoro

Abandono

2020.10.27 12:43 CODENAMEFirefly Abandono

Oi Reddit, descobri esse sub a alguns dias e venho querendo desabafar desde então. Hoje estou aqui durante minha aula e decidi que quero compartilhar um pedaço da minha história.
A parte ruim: Eu tenho síndrome de abandono, algo muito detrimental que eu adquiri ao longo da história, começando pela minha família e se agravando depois do EM. Suponho que vou começar explicando isso primeiro. Boa parte de tudo isso é conturbado, meu cérebro bloqueou algumas memórias e eu não consigo lembrar nem que me contem, mas o que eu sei é, eu sou filho de uma traição dupla (meu pai traiu minha mãe e a mulher com quem estava), até aí tudo bem, nada de tão único, mas isso levou a uma infância conturbada, por mais que minha mãe tentasse eu sempre fui muito fisicamente parecido com meu pai (por sorte meu pai é bonito, mais do que eu por sinal) e ela nunca se recuperou muito bem da traição, eu nunca consegui me conectar com meu pai, em parte pela história, em parte pelo fato da minha madrasta ter ódio mortal de mim a ponto de ser violenta. Para agravar um pouco a situação, durante o EM eu me tornei extremamente instável mentalmente, namorei uma garota que, antes de namorar, foi minha amiga por 3 anos e depois(até onde eu sei, as memórias aí são extremamente turvas) me estuprou, se arrependeu e ainda tentamos manter o relacionamento por mais 2 anos depois disso. Durante essa época eu tive diversas crises de depressão e ansiedade e isso estava fazendo mal a ela, apesar de ser enfermeira e formada em área de doenças mentais, ela não tinha a capacidade mental para lidar comigo naquela época, então terminei o namoro, tentando preservá-la (já não estávamos indo bem de qq forma e claramente eramos mais um casal de amigos do que namorados). O problema é que depois disso ela sumiu, desapareceu, sem dar sinal, mensagem, telefone nem nada. Tudo bem, é uma escolha dela, eu acho. Eu tentei de tudo, aparecer na casa dela, ela tinha sumido e os pais só me disseram que iam chamar a polícia se não saísse, tentei conversar com os líderes da igreja dela para ver se eu conseguia ao menos notícia e mesmo assim nada, só fui proibido de entrar na igreja. Até hoje eu tento descobrir o que aconteceu com ela, queria fazer as pazes (não voltar a namorar) e ao menos entender um ao outro de novo e, quem sabe, recuperar mais uma dessas amizades de whatsapp/facebook em q não nos falamos nunca. Vira e mexe eu tenho crises sérias com relação a isso, não sei o pq eu me importo tanto com o fato dela ter sumido e pq queria tanto fazer as pazes. O resultado dessa merda toda? Fora a depressão, a eventual crise que me incapacita de sequer sair da cama e o padrão de sempre, eu não consigo falar com ninguém que eu considere superior (chefe, entrevistador, pessoa mais velha, professor...) sem ter uma crise de ansiedade, a última vez que eu fui para uma entrevista de emprego, eu parecia uma poça d'agua suando e passando mal durante a entrevista toda, por algum milagre consegui o emprego mas no dia de assinar o contrato eu comecei a chorar desesperadamente e simplesmente saí correndo (e pedindo desculpas) e fiquei uns 40m vomitando na rua até desmaiar em uma parada de ônibus. Fun times.
A parte boa:
Durante uma das minhas crises logo depois da ex sumir (a depressão me fez perder 13kg por mês, era gordo, hj sou até sarado), eu me enfurnei em qq lugar que podia me oferecer ajuda, um desses lugares era a igreja do meu melhor amigo, era um buraco sem noção, a primeira vez que fui, achei que ia ser sequestrado, ficava em um beco escuro do entre um depósito de lixo clandestino e uma fábrica de ração. Apesar de tudo foi o lugar onde eu mais recebi amor. Não sou evangélico, apesar de ter minha crença em Deus, sou contra a maior parte da Bíblia e adoro contestar crente só para ser chato, mas estava precisando de amor e lá recebi amor. Nessa igreja eu conheci uma garota, parecia filme da Disney, eu estava lá, com cara de quem não dormia direito, cantando uma música que ninguém mais conhecia e de repente ela entra cantando a outra parte e esses dois estranhos lindos de morrer (nós somos muito bonitos pqp) cantam juntos uma canção que ressoa no coração deles. Foi coisa de filme, mas ela era 6 anos e meio mais nova que eu, foda, pra kct, eu tinha 21 e ela tinha acabado de fazer 15. Foi uma época interessante da minha vida, depois de muita pesquisa sobre pedofilia, crise de identidade e psicólogo, eu decidi que ia seguir em frente com aquilo, me sentia apaixonado como nunca antes e isso me deu um novo propósito. Na época, a diferença era grande, uma garota de 15 e um cara de 21 é uma diferença muito grande, hoje que tenho 27 e ela 20 todo mundo já acha normal. OBS: Eu tenho que citar aqui pq se até eu que estava apaixonado achei estranho namorar uma garota de 15 imagina vcs que tão lendo. Eu decidi que iríamos namorar por 1 anos sem sequer nos beijarmos, pq queria mostrar pra mim, para ela e para nossas famílias que minhas intenções eram boas, depois desse ano eu ainda sugeri aumentar o período para até ela fazer 18, para mim não importava por tanto que eu pudesse estar ao lado dela. Eu não apoio de forma alguma namorar pessoas tão mais novas, não façam isso. Esse período foi uma época bem sobrenatural e eu adoraria compartilhar com vocês dps, mas o texto já ta grande pra kct. Hoje eu e ela temos uma empresa, de identidade visual e tecnologia, a empresa abriu esse ano então ainda estamos começando mas o sustento está vindo, fazemos sites, capas de livros, cartões e qualquer outra coisa relacionada a programação ou arte. Amo trabalhar com ela, amo viver com ela, amo minha vida, desenvolvi uma maturidade emocional que nunca imaginei ter, posso dizer fielmente que sou feliz, mesmo que diariamente me pegue querendo morrer e/ou voltar no tempo e refazer minha vida, a depressão é, e vai para sempre ser, um fantasma nos meus ombros, mas hoje eu venci de novo.
Ps. Não foi fácil, mais de 5 anos de relacionamento, 3 tentativas de suicídio, 200 milhões de crises e tudo o mais que a vida pode jogar em nós. Segue em frente, eu posso contar depois a nossa história de relacionamento e como você e/ou seu significant other podem fazer para conviver em harmonia apesar de problemas mentais e financeiros, acho que vou chamar de "Como conquistar uma e-girl" kkkkk.
submitted by CODENAMEFirefly to desabafos [link] [comments]


2020.10.25 02:54 queenl1zzy A amiga do meu namorado

Bom, namoro faz 10 meses e meu namorado até então tem uma amiga. Eles são amigos deve ter uns 3 anos. Eu, como é o comum de qualquer relacionamento, senti ciúmes em saber da existência dessa amiga e ainda descobrir que ela considera ele melhor amigo e que ele costumava considerar ela melhor amiga também, mas após começar a namorar comigo ele diz que eu sou a única melhor amiga dele (até aí ok). Mas eu comecei a me incomodar bastante com ela quase sempre chamando ele pra jogar e o pouco tempo que tenho disponível pra fazer com ele acaba ele jogando com outras pessoas e algumas vezes com essa garota.
Recentemente ela vem chamando bastante ele pra jogar (vale ressaltar que ela namora também), eu fico chateada pq ela tem o namorado dela e o tempo que eu tenho pra ficar com o meu ela acaba tirando isso de mim. Anteontem era véspera do nosso aniversário de namoro e ela chamou ele pra jogar e ele aceitou ir jogar dps de ter dormido o dia inteiro e eu achei que ele iria fazer algo comigo até dar meia noite e ser o nosso dia. Eu acabei indo perguntar a ele quando iriamos pode ficar juntos e ela ouviu tudo o que ele tava me respondendo pq estava em ligação com ele enquanto jogavam. Dps de terem acabado de jogar ela mandou mensagem pra ele dizendo que preferia se afastar pq não iria passar por cima do nosso relacionamento. Mas ele falou que ia ver se eu me tocava com tudo isso e mudava, então ficou aberto sobre isso de pararem de se falar ou não.
Porém, ele me disse que ela provavelmente não iria mais falar com ele, e eu espero que aconteça isso pq acredito que é melhor assim. Ele me contou que ela não ajudou ele quando ele estava em um relacionamento conturbado, só diminuiu o que ele sentia e fez ele se sentir um idiota por ir buscar ajuda. E isso foi como se fosse uma resposta pra mim pro sentimento inexplicável que eu tinha sobre ela. Ele tem algumas outras amigas que pedem ajuda na hora de jogar e etc, mas não me incomodava tanto quanto essa me incomoda. Enfim, ele me contou sobre isso, de que ela não o ajudou quando precisou e que só chamou ele de trouxa, que ele era um idiota por deixar ela (a ex dele) fazer isso com ele). Resumindo, a amizade deles foi algo que ele ajudava ela quando ela precisava mas ela não ajudou quando ele precisou. Então ele só jogava com ela pra se distrair e não compartilhava de problemas pessoais já que sabia que ela iria ridicularizar a situação. E eu acredito nele, pois ele já me contou sobre o relacionamento anterior, só gostaria que ele tivesse dito sobre isso antes pra me tranquilizar, mas ele não gosta de tocar muito nesse assunto pq faz mal e eu entendo totalmente.
Eu tô pensando nisso até agora, e queria um comentário de alguém de fora disso, se isso seria algum sexto sentido por minha parte de "sentir" que tinha algo de errado com essa amizade e que a garota não era tão boa quanto parecia ser ou é só imaturidade da minha parte em achar que é melhor que ela se afaste mesmo já que não foi uma amizade que agregou na vida dele e só o fez afundar no momento que ele precisava de apoio dos amigos e também de certa forma tá atrapalhando nosso relacionamento. Por favor, quero opiniões de alguém sobre isso. Desculpa pelo textão e obrigada por quem leu até aqui!
submitted by queenl1zzy to relacionamentos [link] [comments]


2020.10.24 23:34 ms-phoenix Fim de relacionamento durante a pandemia

Sai de um relacionamento abusivo para me relacionar com alguém que eu acreditei ser o amor da minha vida. Nos primeiros meses (nessa mesma época, só que em 2019) foi tudo incrível, tudo maravilhoso e foi assim até o início da pandemia.
Eu e meu namorado (agora ex) tínhamos uma vida social ativa que se foi totalmente por conta do isolamento social. Eu sabia que isso iria afetar negativamente nosso relacionamento, então, desde abril insisti para fazermos algo diferente para não deixar o relacionamento cair na rotina.
Ele é um cara muito legal, mas é super preguiçoso, apesar de trabalhar, não faz mais nada além de fumar cigarro (o que eu odeio) e maconha (que eu gosto, mas sem exageros) e dormir o dia inteiro, o final de semana inteiro.
Dito e feito: o namoro caiu na rotina. E DETALHE: nós trabalhamos juntos, ele é meu líder imediato na empresa, o que só piora tudo. Não fazíamos nada além de trabalhar nos dias de semana, e no final de semana fumar maconha e assistir série desde o inicio do distanciamento social.
Eu sempre insisti para começarmos a praticar algum esporte, sair pra acampar, fazer trilha ou QUALQUER outra coisa que não envolvesse ficar chapado trancado dentro do quarto o final de semana inteiro e sempre tinha uma desculpa pra não acontecer isso.
Domingo tivemos uma conversa séria sobre isso e eu disse que não estava feliz, ele jurou que ia mudar, que ia ser mais ativo, que ia encontrar um hobbie e que iria diminuir o consumo de erva porque viu como me fez bem ficar sem (eu estou outubro inteiro sem maconha, álcool, carne, açúcar e redes sociais e me curei de um quadro de depressão por conta desse “detox”).
Quarta feira, sem mais nem menos, me chamou no intervalo do almoço, terminou comigo e me mandou voltar a trabalhar, enquanto foi pra casa chorar. (???)
Eu fiquei bem incrédula, mas não fiquei mal porque já não estava feliz com o relacionamento.
Acontece que em 3 dias desde o término ele já encontrou um novo hobbie, saiu de casa para se divertir e hoje saiu para acampar (com a barraca que compramos juntos e nunca usamos por conta das desculpas).
Eu tô triste, com raiva e me sentindo humilhada, porque, lembram que eu falei que eu saí de um relacionamento abusivo antes de namorar com ele? Então, eu não tenho amigos. Não tenho com quem conversar, com quem sair, com quem ter contato.
Eu me dediquei totalmente a esse relacionamento, sempre fiz de tudo por ele e no primeiro final de semana após terminar comigo, ele faz todas as mudanças que eu venho pedindo há 7 meses.
A história tem muito mais detalhes, que eu não vou nem mencionar pra não deixar o texto mais gigante do que já ficou, mas cara, que situação merda. Tô malzona.
TL;DR: insisti meses em mudanças que fariam bem pro nosso relacionamento e ele só mudou depois de terminar comigo.
submitted by ms-phoenix to desabafos [link] [comments]


2020.10.23 21:09 LuanVernut Vou abrir o coração: Sou mesmo um imbecil! DEUS!

Relato 100% verdadeiro, quero exorcizar esse fantasma da culpa de uma vez. Mesmo quando crescemos, em certos momentos o homem ainda é um garoto, e dessa vez o otário fui eu.
Conheci essa garota na faculdade, antes de trocar um Oi, os cabelos cacheados já tinham chamado minha atenção. Ela não era nenhuma TOP Model, mas para mim sempre linda. Resultado disso foi eu me aproximar e ficar amigo da tal garota.
Essa nossa amizade que evoluiu com o passar do tempo, logo passei a ir deixar ela em casa e depois passamos a frequentar a casa um do outro. Eu ficava muito à vontade com ela, riamos de tudo, conversávamos horas. Não é de espantar que logo eu tava doido por ela, mas sabe aquela sensação insegura? "Putz, se eu me afobar vou estragar tudo, temos uma amizade tão sincera." Eu fui MUITO BURRO!
O tempo foi passando, e aconteceu a seguinte situação. Estávamos no metrô, estávamos em pé, lado a lado e eu fiquei olhando ela pelo reflexo como um bom beta. Então ela olhou para meus olhos pelo reflexo também, ficou meio sem jeito. E isso fez nascer uma pulga atrás da minha orelha. "Será que ela também sente o mesmo que eu?"
Então fiz a pior besteira que alguém pode fazer nessa situação, fui pedir conselho a um amigo. Contei tudo e ele disse: "- Cara, você tá viajando, vai chegar todo emocionado e perder até amizade da menina, acho que ela só quer tua amizade e você tá fantasiando." Ok. Nos dias seguintes notei que a garota tava meio esquisita, como se quisesse dizer algo mas travasse, então um dia ela pede para descobrir o whatsapp de um colega meu, que ela queria conhecer melhor. "Hmmm é realmente, ela não tá afim de mim, e essa é a prova final, ufa quase eu estragava tudo." Passei o whatsapp do cara que eu mal conhecia. E tudo ficou bem.
Mas não acabou bem.
Meu sentimento não diminuiu e Acontece que aos poucos no decorrer de 1 mês, a vi se aproximando do rapaz e claro se distanciando de mim cada vez mais. Fui falar com uma amiga nossa que me recomendou afastar um pouco dela, dar espaço para eles dois. Fiquei puto com isso mas o que podia fazer? Então a treta final: Estava no parque com uns amigos a noite tocando um violão, e quem eu vejo lá? A garota, parecia triste. Isso é um detalhe que eu não disse, eu sempre a via triste depois que começou com esse rapaz, o problema é que eu me convencia que era eu que estava triste e projetava isso nela.
Mas não dessa vez, não sei se foi o vinho mas quando eu a vi na praça, pensei foda-se vou meter o louco. Se for de perder a amizade de todo jeito vou abrir o jogo. E é agora o desfecho dessa merda toda, sentei com ela a sós em um dos bancos, e toquei no violão "PRA SER SINCERO do Engenheiros do Hawaii" - Quando terminei disse: - Ray, eu toquei essa música para você porque sempre penso em você quando escuto, na verdade penso em você muitão porque... BLÁBLÁBLÁ." Soltei o verbo, disse tudo que eu podia para não deixar nada. Mas a cada frase que eu falava, e cada situação entre nós dois que eu relembrava para ela através de minha perspectiva a expressão dela ia mudando até que ela começou a chorar de verdade na minha frente. Chorar mesmo. Tentei acalmar ela com o "Tudo bem, sei que você quer minha amizade, desculpa se eu confundi tudo." Mas ela parou... olhou pra mim com o rosto todo vermelho e os olhos cheios de lágrimas (igual eu tô agora) e disse:
"E por que? Por que você só disse isso tudo agora? Por que fez isso agora?"
MOLEQUE Então ela começou a contar a versão dela de tudo que eu falei. A essa altura vocês já sacaram tudo né? Talvez até antes. Ela era afim de mim desde o começo. E o dia do whatsapp foi o teste final dela. "Se ele topar pegar o whatsapp do fulano significa que ele realmente não sente nada por mim." O rapaz do Whatsapp, tinha pedido ela em namoro depois de semanas ficando. E ela tinha dito sim. Para "comemorar", o cara bancou uma viagem para os dois. Vão passar sexta à domingo sozinhos na pousada da família dele. E eu aqui falando com vocês.
Se você leu meu lamento até aqui valeu. Mas olha eu tou mal por dentro demais! Sei mais nem o que fazer ou falar. Chega...
submitted by LuanVernut to desabafos [link] [comments]


2020.10.22 06:01 LilBabyBro18 Sem emocional pra conseguir inventar um nome bom pra esse post, mas comente caso se identifique

Boa noite povo lindo, eu tô meio que sem saber como começar a escrever esse post porque no momento tem muitos sentimentos ruins na minha mente... então pra não ficar muito confuso vou resumir ok, vamo lá:
Começou no final de 2018 quando eu entrando no Bate-papo do UOL (quem nunca?) e entre inúmeras conversas com diferentes pessoas, comecei a conversar com um menino lá que era muito gente boa, conversa vai e conversa vem e no final trocamos o endereço do Skype para podermos conversar mais e nos conhecer melhor. Começamos a conversar bastante pelo Skype, literalmente, todos os dias, toda hora e por bastante tempo, eu sempre fui daquelas pessoas que "julgava" muito e condenava casais que ficavam de melosidade um com o outro e tal (pessoalmente, por mensagem, etc), mas quanto eu menos percebia mais estava eu lá fazendo isso, eu e o Vinicius (nome que ele me deu e que estava no Skype dele) a gente se tornou amigo muito rápido, de verdade mesmo, intimidade e cumplicidade 100% um com o outro, mas tanto ele quanto eu não percebíamos que meio que tava indo pra algo a mais sabe, e nos primeiros dias de 2019 ele me pediu em namoro, por mensagem mesmo e eu tava bastante apaixonado aceitei (sim, webnamoro). Até que num determinado dia enquanto a gente conversava da melhor forma como sempre, ele diz que vai pegar um café e simplesmente nunca mais voltou, nunca mais me respondeu. Eu fiquei meses mandando mensagem e ligando e tentando entrar em contato mas nada, até que eu desisti e segui minha vida, iniciei a faculdade, alguns projetos pessoais e etc.
Até que que essas semanas, ja no final de 2020 e fazendo quase 2 anos que eu não pensava mais sobre o Vinicius, eu escutei uma música que a gente escutava junto, voltei a pensar nele e a me perguntar como ele tá, entrei de novo no meu Skype (que eu já não usava a uns anos) e encontrei ali todas as conversas de anos atrás. Como eu era bobo e imaturo puta que o pariu... e enquanto re-lia as conversas fui reparando em informações dele que eu não tinha reparado antes (nome completo, data de nascimento, nome do colégio onde ele estudava) e tendo algumas informações bem relevantes (mais as fotos dele) eu tomei a decisão de ir atrás dele, passei algumas semanas procurando o perfil dele em tudo quanto é rede social, facebook, instagram, twitter e nada, simplesmente NADA dele, achei suspeito porque... que jovem hoje em dia não tem rede social? Ainda mais ele super extrovertido e cheio de amigos, mas continuei a procura e nada, até que decidi procurar pelos dados que eu tinha dele e adivinhem? Não batia com nenhum outro Vinicius da cidade onde ele morava. Até que eu fui pro meu ultimo recurso que era pesquisar pelo google images e finalmente eu achei alguma coisa.
Achei outra pessoa, um tal de Pedro Negrini, indo mais a fundo descobri que esse cara era um "modelo" teen, colirio da capricho no ano de 2011, depois disso eu tive a confirmação que o "Vinicius" não dizia ser quem ele era, e quer saber? Foda-se também.
Eu... não sei o que sentir em relação a isso, eu tô magoado por saber que a primeira pessoa por quem eu me senti especial, troquei segredos e de verdade, me apaixonei a ponto de me jogar de cabeça é uma pessoa fake, uma mistura de raiva, frustração, uma angústia/aperto no peito, sei lá. Só sei que entrei no perfil inativo dele uma ultima vez e mandei uma porra duma carta de despedida pro filho da puta e apagar tudo
Podem rir ou me falar o obvio, que foi mancada minha me envolver com alguém que você não tem confiança nem nada... mas caralho, foi a primeira pessoa por quem eu senti algo, que eu me entreguei de fato e tava disposto a largar tudo pra poder um dia conhecer ele, vai se fuder! Por que as pessoas insistem em brincar com o sentimento alheio meu Deus?

Eu não sei se vai fazer sentido eu postar isso aqui, só queria desabafar mesmo e botar pra fora essa angústia dentro do meu peito, talvez eu me sinta melhor amanhã, sinto que meu coração tá quebrado! Obrigado por quem leu até aqui e por quem comentar alguma coisa, boa noite.
submitted by LilBabyBro18 to desabafos [link] [comments]


2020.10.21 15:35 CigarraMarron Eu sou uma vadia louca?

Bem, pra começar eu nunca fui a pessoa que idealizava o amor romântico, sempre achei essa ideia falsa e as pessoas que diziam viver morrendo de amor fracas e irracionais. Eu me apaixonava toda semana pro uma pessoa diferente, me divertia muito, tinha momentos intensos em vários aspectos, pra mim isso era ótimo, vivia a ideia de "amor" tradicional, mas sem sofrer por isso, já que não me apegava a ninguém. Junto a isso, sempre fui uma pessoa muito ambiciosa e tenho expectativas enormes para meu futuro, e se apegar a qualquer pessoa seria um tiro no pé, pois ia acabar formando família (o que na minha cabeça restringe exponencialmente a capacidade de uma pessoa se movimentar em busca das suas ambições).
Há alguns anos um amigo de infância se declarou pra mim e decidi entrar num relacionamento sério. E embora não estivesse caída de amores por ele, resolvi tentar por que ele sempre foi uma pessoa maravilhosa. Como já era de se esperar, ele foi um companheiro maravilhoso, atencioso, cuidadoso, amoroso, não deixava a desejar no sexo, praticamente o parceiro ideal, mas não pra mim. Ele queria ter família (filhos, cachorro, galinha, cavalo, casa na roça), não tem ambições, é tranquilo e tradicional, não esquenta com nada no universo. Ele ser assim me irritava, pq eu não aceitava que alguém pudesse ser tão passivo, ainda assim fiquei quase 4 anos no relacionamento, pois toda vez que eu pensava em terminar, minha razão me acusava, dizendo que eu tava jogando fora um homem que a maioria das mulheres gostariam de ter. Então fui só empurrando, até que achei desculpas para justificar o fim do relacionamento, me convenci dessas desculpas e pulei fora, sem olhar pra trás (embora até hj fique me pergunte se não teria sido melhor me adaptar a aquele relacionamento).
Mudei de estado, a trabalho e isso me ajudou a superar o fim do relacionamento que seria ideal, mas não pra mim. Corri atrás das minhas ambições, carreira, viagens, amizades, network. Por dois anos fui solteira e me diverti muito, mesmo que as vezes batesse aquela carência e o vazio.
Nesse tempo acabei entrando numa empresa que não me dava perspectiva de crescimento rápido, como sempre acho que não tenho tempo a perder, fiz uma proposta que se ele não pudesse me promover nos próximos 12 meses eu pediria demissão pra fazer intercâmbio. 4 meses antes de embarcar pro intercambio conheci um rapaz legal na empresa e nos aproximamos e começamos a namorar, apesar de meu intercâmbio estar marcado (obvio que eu não desistiria disso por ele, e nem por ninguém). Optamos por continuar o namoro a distância, foram fucking 7 meses infernais. Mas nem eu e nem ele ficamos com outras pessoas, embora eu tivesse dado a ele permissões (e ele não houvesse me dado permissão nenhuma). Nesse meio termo minha mãe (que mora há 2,5h de avião do lugar que meu namorado mora) ficou doente e tive que voltar do intercâmbio e dar assistência a ela. Fiquei 2 semanas com meu namorado e fui embora de novo, passar um mês com minha mãe.
Durante esse um mês que fiquei fora o meu namorado se envolveu com outra pessoa, ele já estava muito confuso, por que eu jurava que amava ele, mas tava sempre abrindo mão dele por outras coisas. AO saber que ele se envolveu com outra pessoa eu surtei do fundo do meu coração (embora concorde com relacionamento aberto e tivesse anteriormente dado permissões a ele), comecei a julgá-lo e culpa-lo, embora minha razão dissesse: "ele tolerou coisas que nem vc toleraria e ele ainda quer ficar com vc e é sincero com vc".
Meu namorado está muito confuso, e não confia muito em mim. O que é muito compreensível pq eu dou bastante brecha tanto pra a confusão quanto pra desconfiança. Eu vivo como se fosse muito desapegada, embora eu tenha um sentimento por ele, nunca faço promessas de amores eternos e sempre digo que vamos durar até quando durarmos e isso deixa ele bem inseguro, ele acha que não quero futuro com ele. Por mais que eu sinta por ele, tudo que sinto, eu não consigo deixar claro o quanto ele vale pra mim, e na verdade eu nem sei se vale, ou se ele é só o espelho do que eu achava ideal (já que tem as mesmas ambições que eu).
No meio dessa confusão de ele ter ficado com outra pessoa, demos um tempo de 1 semana, que era o tempo que faltava pra eu retornar pra cidade dele. Falei que ele estava solteiro até eu voltar, ele se aproximou da moça com quem ele ficou e agora que cheguei tivemos uma conversa muito séria, ele disse que queria ser solteiro, pra viver aventuras, já que nunca foi solteiro desde os 18 anos, tive a impressão de que ele estava gostando dessa moça (mas em uma semana? Como pode ser? Carência?), ele disse que não quer terminar comigo pq me ama, mas que sente falta de algumas coisas em mim (como a presença física e emocional, e sexo, já que pra ele transar 4 vezes ao dia parece pouco), sugeriu que eu abrisse o relacionamento pra ele, pra ele suprir essas ausências minhas que confesso que são significantes pra ele e ele sempre deixou claro. Eu analisei bem e decidi que queria tentar isso, como uma forma de compensá-lo por ter tolerado as situações que trouxe pra nosso relacionamento que só tem um ano e cujo eu passei um total de 8 meses longe, sem vê-lo. Só que apesar de ser super de boa com a ideia de abrir relacionamento, poliamor e tudo mais, eu comecei a cobrar dele que ele não deveria me impor isso (sendo que ele sempre se mostrou bem aberto a negociações e sugestões e demonstrou o quanto se importava com meus sentimento em relação a isso). Minha cabeça aprovou isso, mas minhas emoções estão transformando isso num inferno pra mim e pra ele e tudo que faço e pressionar. E agora estou pensando em trai-lo, pq estou "muito magoada" e "quero que ele me pague por fazer eu passar por isso". Ele desde o inicio foi bem claro que não abre a relação, ele jamais aceitaria e tmb odeia mentira e traição, por isso tem me contado tudo que tem feito. Marquei alguns encontros aos quais comparecerei. Mas tenho achado injusto, justamente por ele ser tão transparente comigo.
Ai comecei a me questionar, será que gosto mesmo desse rapaz e só estou com ciumes e medo de perdê-lo depois de tudo que passamos e ainda estamos "juntos"?
Será que só tô apegada a ideia de futuro com ele (devido nossos objetivos similares)?
Será que só sou uma vadia louca brincando com o sentimento de alguém que nunca me deu espaço pra desconfiança?
Será que no fundo eu sou egoísta demais pra ficar com alguém e tenho que me acostumar com a ideia de viver só na vida, seguindo meu preceito de desapego (simplesmente pq não quero abrir mão de nada por alguém)?
Sejam sinceros, sem medo de me magoar, sei que a maioria aqui tem a mente bem aberta e poderá me criticar de forma racional.
submitted by CigarraMarron to desabafos [link] [comments]


2020.10.20 03:53 Control-Much Eu me sinto estranho, eu sou estranho pra caralho

Geralmente eu não sou um cara de pedir auto-ajuda, sinceramente esse é meu primeiro post aqui no Reddit, (acredito que já lurkei o suficiente) a real é que eu fui abusado pela amante do meu pai bem novo. (ela tinha 24 e eu tinha 8) isso se perpétuo até meus 13 eu acho com isso a infame desgraçada além de enfiar o dedo no meu rabo conseguiu me transformar em um garoto bem introvertido e quieto, logo, um punheteiro bem novo ela conseguiu me “depravar” bem novo fazendo eu me tornar uma batata social que vivia em função de realizar os desejos pedófilos dela, na real é que eu me sinto culpado por gostar disso além dela ser amante do meu pai e morar na minha casa como se fosse filha da minha mãe (ela simplesmente agiu como santa para ser acolhida pela minha mãe, a mesma tratava ela como minha irmã) logo isso me fez desenvolver vários problemas como fobia social e problemas de insônia pós ela fazia questão de me “felar” a noite assim quando bem entendia, eu geralmente falava não e que ela não podia fazer aquilo comigo então ela tampava minha boca com a mão e continuava.
A longo prazo isso me ferrou de diversas formas tanto nos meus relacionamentos, quanto na vida social e profissional. Além deu ter ereções aleatórias, isso não parou nem depois da puberdade. Eu sou um viciado em pornografia e sexualizo coisas simplesmente não saudáveis, claramente minha mente se tornou perturbada depois daquilo, mas eu nunca desenvolvi um quandro mais sério quando eu era novo, não comparando do que eu desenvolvi uns anos para cá.
Bom, assim que eu cheguei nos 14 e arrumei minha primeira namorada é que eu tive uma epifania, a primeira é que minha vó é uma arrombada (ela simplesmente impatou a minha primeira foda porque minha mãe pos ela de babá para não deixar eu meter o boneco na menina, depois que minha vó expulsou ela da minha casa logo depois essa garota terminou comigo) a segunda é que minha vida não tinha muito sentido as pessoas me usavam para ter o que elas queriam seja prazer momentâneo, objetos, serviços ou apóio moral e logo depois me descartam como um trapo velho, isso tudo veio junto com a morte do meu tio com 42 facadas na barriga, querendo ou não meu tio além de um grande cheirador de coca, era um dos meus melhores amigos (Ele me mostrou jogos online, lan houses, amigos, e cuidava de mim verdadeiramente sem pedir nada em troca além de um dinheiro para ele comprar um saquinho da fininha as vezes) Ele simplesmente curou minha fobia social e fez eu ter a infância que eu tinha perdido por ser um escravo sexual sem amigos de uma deposito imunda que nunca se importou comigo.
Assim que ele morreu meu mundo desabou foi a primeira experiência com a morte que eu tive, logo de alguém tão próximo, isso me quebrou de diversas formas.
Com isso veio a inevitável depressão eu literalmente só existia para um propósito merda, eu comecei a fumar cigarro para passar a ansiedade bem novo com 15 eu já fumava os “diversos” aquilo me trazia a sensação de leveza, mesmo que fosse uma paz momentânea, era como se meu cérebro parasse de “autistar” (eu sou hiperativo) mesmo eu queimando cada sinapse cerebral que eu tinha, aquele amargo na boca me deixava calmo.
Meu vício e depressão perduraram até um webnamoro merda que eu tive em que eu acreditava que era a “garota perfeita” pura ilusão de um emocionado eu realmente pensei que eu poderia vê-la, ter uma família com ela, conseguir consertar as merdas que eu fiz para mim mesmo e começar a amar o falo ambulante que as pessoas acham que eu sou, eu simplesmente dei tudo para ela e durante os primeiros 7 meses foi tudo ok, era muito amor e muita consideração minha, pois eu sou um cara muito “good guy”, ela tinha uma depressão bem forte por conta do pai abusivo e da mãe ausente (o pai dela é pastor e espanca os filhos, fica bêbado, vive na degeneração, bolsominion) esses pontos que geraram uma “femcel” esquerdista e bissexual.
Ela era fofa, eu achava que estava apaixonado, mas como todos os meus namoros ela só meu usou porque não tinha nada melhor. E me trocou por um ex paulista “femboy” que exigia nudes dela e a travata como lixo, simplesmente eu me sentia muito culpado, pois eu tinha me iludido em algo que claramente não tinha futuro, mas eu sou extremamente carente então o melhor encantamento para me levar no bolso é dizer que me ama, independentemente da circunstância, literalmente ela dizia coisas para eu me sentir horrível comigo mesmo e logo depois dizia que me amava, eu me sentia abraçando um cactu mesmo que não fosse de “verdade” era a primeira vez que alguém falava que me amava, eu entrei em pânico, mesmo eu sabendo cada segundo que aquilo não era o certo a se fazer e eu estava regredindo.
Querendo ou não ela me ajudou a superar uma fase da minha vida, mas eu nunca parei de me sentir um objeto. Na real eu ainda tive mais certezas disso eu simplesmente sou um dildo de plástico que estou na gaveta para quando elas não têm ninguém. (não eu não me considero bonito, longe disso eu to mais para brasileiro morador de periferia padrão)
Logo depois disso eu quis adiar o problema e começar a sair mais com meus colegas e meu primo começou a morar aqui por volta de 3 meses foi tudo tranquilo até que fomos num “hokah” (buteco adolescente) nós juntamos lá, eu comecei a beber até que perdi a inibição e comecei a ir em toda mulher que eu via pela frente igual um macaco, a primeira me achou simpático e me puxou pro canto quando tudo já ia dar certo um colega me barrou dizendo que ela já tinha “dono”, eu ri e meti um “a gente divide, né pae” meu colega riu muito, por ele conhecer ela a mais tempo eu decidi não “profita-la”, mesmo com ele não conseguindo pegar ela depois, por pura consideração pelo cara, eu fui em outras 6 depois dessa e tomei fora de todas e ganhei um apelido de 7.
Na real é que as garotas agora me viam como uma piada que está lá para quando inflar o ego delas para quando elas precisam, tradução literal: “esquento para um babaca com grana comer”. Esse foi um dos momentos mais WTF possíveis na minha vida se não fosse a briga com meu primo que rolou depois. Ele ouviu o que eu tinha comentado com o meu colega e como as pessoas gostam de me oprimir inventaram uma história vergonhosa sobre meus foras para parecer herói na frente no irmão do meu melhor amigo, e como o resto dos meus amigos de infância babam o ovo do meu primo eles literalmente concordaram com ele criando 3 histórias diferentes do ocorrido literalmente forçando que eles eram “os heróis que salvaram o pequeno betinha de ser cobrado na saida do butequinho”, além do meu primo viver se achando o bonzão ele era um gigolô da porra em casa e só aproveitava não dando uma foda para minha mãe, sendo que ela fazia das tripas coração pro arrombado ele nunca tratou ela do jeito que ela merecia, eu cobrei a mentira que ele inventou e simplesmente fui contra toda a minha rodinha de amigos sendo fraco e falho.
Eu não deixei ele falar toda aquela merda sem ter penalidades, mesmo implorando para ele parar de falar e párarmos de discutir, ele veio para cima eu dei um no queixo e na orelha.
Foi o suficiente para deixá-lo katinguelê, então ele me ameaçou de pegar uma faca para mim, então eu quebrei uma bacia de vidro e com a mão e com os cacos sagrando na minha mão eu falei “tu meu irmão, que viveu a vida toda comigo, vai me furar, na nossa casa, com a nossa família aqui, NA MINHA CASA?”. Além de jogar umas coisas na cara dele porque ele merecia.
Foi o suficiente para minha mãe expulsar ele de casa, meus amigos acharam que eu armei para ele e a pessoa que literalmente passou 16 anos da vida ao meu lado meu melhor amigo chupou o ovo do meu primo, vendo tudo que ele diz como verdade absoluta.
Mais cedo ou mais tarde íamos brigar eu acabei de brigar com outra pessoa que viveu a vida toda ao meu lado, isso para mim, é frustrante porque literalmente eu sou dependente de toda emoção positiva que as pessoas têm por mim, ele usou o argumento que eu sou “mimado” por não ter nada da forma que eu quero, mesmo eu saindo errado em tudo quase sempre. Esse argumento ele valida falando que “eu tive tudo na vida agora não aguento perder”, eu esqueci de falar que a amante do meu pai antes de ser pega pela minha mãe roubou todo o dinheiro do meu pai e sumiu do mapa.
Meu pai trabalha no comércio então com a crise, inflação, copa do mundo, carnaval e covid. A gente sempre passa um aperto aqui e alí.
Eu simplesmente sou muito sensível a essa merda eu não sei porque esse padrão aleatório de merda me segue e eu não consigo ser feliz, ou do porque eu me importar com isso.
¹Edit: eu comecei a gostar de trans então a tampa do bueiro leva ao esgoto, por isso eu to aqui. ²Edit: eu me sinto sozinho e vulnerável ³Edit: eu sinto que a minha solução seria uma pessoa que sofreu tanto quanto eu para me entender verdadeiramente. ⁴Edit: esse post é frescurento para um caralho, pois eu sou horrível contando algo então essa merda parece pura frescura, mas foi traumático cada segundo ⁵Edit: apanhei para caralho na escola quando era muleque por ser esquisito ⁶Edit: minha irmã não me suportar e tentou me matar usando um iPhone 6 plus, ela quebrou ele na minha cabeça 8 (pontos). ⁷Edit: tentei me matar usando cabo de extensão no box do banheiro e pulando de uma cachoeira.
⁸Edit: é minha primeira vez sendo op aqui, não tenho muito experiência.
Also, acho que embananei essa porra para caralho e não cheguei em lugar nenhum, mas eu precisava de um lugar para postar essa merda sem polimentos com esses pensamentos abstratos antes que eu comece a chorar pelo quão random essa merda de vida é.
submitted by Control-Much to desabafos [link] [comments]


2020.10.19 14:03 superegotrip amigo meu me convenceu a dar em cima de uma garota que sequer tinha chance de me dar mole

"você só vive uma vez, foda-se"
não foi muito emocionante, mas queria compartilhar. isso aconteceu essa madrugada.
estávamos voltando do bar, um amigo meu contava sobre seu recente término, e conseguiu em pouco tempo sair com uma garota maneira que morava em sua rua. ele disse que o "segredo" era ser direto, e se receber um não, foda-se. eu tenho várias ressaltavas sobre isso, sobre pessoa, sobre situação, sobre muita coisa, é bastante discutível isso tudo, mas estávamos relativamente bêbados e o papo foi rolando.
decidimos ir pra casa desse amigo pra planejar ir embora, até que surgiu o seguinte assunto.
"aí, sabe aquela garota lá da sua faculdade? ela disse que era pra eu dar em cima da E. vai que rolava algo."
eu respondi; "po, e pq não foi?"
"não gosto de mina magra, cê sabe como eu sou. pq vc não dá em cima dela?"
"eu? tá doido, sem chance alguma."
e aí fudeu, ele e mais dois amigos ficaram falando por 10 minutos que eu deveria mandar mensagem. um deles pediu meu celular e quis mandar por mim já que eu não tive coragem, pegamos e ficamos discutindo o que mandar.
enfim. essa E. é amiga minha na faculdade, mas nunca tivemos um relacionamento tão próximo assim. foi simplesmente do nada, depois de meses sem conversa no zap, o seguinte;
"oi E. desculpa chegar assim do nada, mas cê tá solteira?"
1 minuto depois ela respondeu - "oi kk sim porque?"
"Então, eu sempre te achei linda e tal. E assim, eu queria saber se teria uma chance da gente sair qualquer dia pra um cinema ou bar."
depois de uns 30 minutos - "ah eu gosto de ti mas como amigo, mas vamos ver"
certamente esse "vamos ver" foi tipo, "deixa pra lá". óbvio né, eu já estava sem cara nesse momento.
não teve muito papo depois disso, ela tinha me perguntado sobre meu namoro e eu disse que tinha terminado faz muito tempo, e ela disse que também. perguntei de novo sobre sair e tal, e até agora sem resposta.
informação adicional: a garota que falou pra ele dar em cima da E. estava conversando com ele na hora enquanto mandávamos mensagem pra E. e ela disse que conhecia a garota, e era pra eu não criar expectativa pq não ia rolar nada. foda. deixou bem claro que eu era feio demais, mas se fosse esse amigo meu talvez rolasse algo. aiai...
eu sou uma pessoa bastante envergonhada, e cara... acordei cedo pra aula EAD e pensando nessa besteira. a mina tem muito contato em comum comigo, tenho certeza que muita gente já até sabe que eu tentei dar uma de maluco pra cima dela sem mais nem menos. acho até que a abordagem de ir convencendo aos poucos desse mais certo do que simplesmente chamar ela pra sair, com certeza você precisa de uma boa impressão com ela antes, e eu certamente não tinha.
enfim, não foi tão emocionante assim. se tiver mais desfecho que isso faço outro post, mas já adianto que não deve rolar nada não kkkk. se puderem mandar histórias pra eu me sentir melhor, tô aqui.
valeu...
submitted by superegotrip to desabafos [link] [comments]


2020.10.11 04:49 BUDABICHO Estou ficando obcecado pela solidão

Tenho 30 anos e há 4 anos estou sistematicamente cultivando uma vida mais solitária. Comecei me afastando dos meus amigos, depois troquei namoro por sexo casual e lentamente me afastei dos meus pais, irmãos e parentes. Me mudei para um bairro onde não conheço ninguém, e tudo isso me faz muito bem. Estou me preparando para me mudar para outro estado nos próximos meses (se o mundo não acabar) , e só pretendo levar grana, uma mochila e meu gato. Meu passado foi bem diferente, mas a essa altura da minha vida sinto uma necessidade constante de estar só, abandonado e longe de outras pessoas. Pretendo fazer terapia por mais 3 meses para me preparar para mudar de estado, e espero não acumular nada, não ter conforto, não ter uma linda casa, nem uma namorada, nem amigos. Vivo com esse pensamento "fique completamente sozinho" há 4 anos, mas a cada dia que passa me torno mais radical, nos últimos dias tive um rompimento com minha avó e minha mãe, e apesar de agora eu só ter 1 única pessoa que considero 'família', nunca me senti tão livre, e me sentir livre é melhor que me sentir amado.
Só tenho medo de ficar doido, pois sei que a falta de contato social cause sérios problemas na cabeça. Isolamento? Lockdown? Covid? Deus me perdoe, mas espero que durem pra sempre. Antes da pandemia eu estava perdido, desesperado e me sentindo um fracassado. Faz meses que estamos presos e fazia anos que não me sentia tão bem. Espero que em breve eu consiga ir para o meio do nada ficar sozinho, não quero nenhum ser humano em 50km de distância. Isso pode parecer absurdo, mas não consigo ver outro futuro para mim que não seja uma vida cada vez mais só. Às vezes eu acho que vou morrer, e alguns problemas muitos sérios seriam resolvidos se eu tivesse ao menos um conhecido por perto. Tenho problemas muito sérios na minha rotina que seriam resolvidos se eu tivesse ao menos um conhecido por perto. Meu gato já ficou com fome porque eu não tinha 3 reais para completar uma passagem para ir buscar um saco de ração, coisas como essa me deixam puto, mas o que a solidão me trás de positivo é incomparável. Sabe aquele sentimento de excitação que a gente tem quando está passeando sozinho por uma cidade desconhecida? Uma espécie de 'safadeza', de malandragem, um sentimento de 'agora eu posso ser a pessoa bacana que eu sempre quis ser"? Tenho esse sentimento todos os dias, e ele vem da total falta de expectativas sobre mim. Ninguém espera nada de mim e por isso não preciso repetir todos os dias a mesma postura. Esse sentimento de frescor dura 4 anos e espero que dure para sempre.
Espero que minha reclusão não me mate antes de arrumar uma namorada. Para matar a minha 'fome' geralmente recorro ao sexo casual(gay), homens gays são muito práticos. Mas tenho um desejo enorme de ter uma relação mais profunda com uma mulher, pois quando tive essa oportunidade eu joguei fora, e agora há pouca ou nenhuma possibilidade de me aproximar de uma mulher. Ainda não conheci esse sentimento gostoso de ter uma mulher do meu lado (homens já tive vários), e com 30 anos sou um homem inexperiente com mulheres. Já tive a chance de amar um homem, e sou grato por isso.
Sinto que em breve vou alcançar a paz que busco, ela parece estar bem ali, virando a esquina. Se algum dia você estiver de férias no meio do mato e aparecer um doidão faminto correndo pelado e falando sozinho, provavelmente serei eu. Sou bonzinho e não machuco ninguém, por favor me cumprimente. Não sofram por estarem sós, sofram por estarem rodeados de pessoas.
submitted by BUDABICHO to desabafos [link] [comments]


2020.10.10 10:04 biel2907 Muitos problemas mentais

Boa madrugada, ou nem tão boa assim... Pra você que vai ler o que vou dizer, entenda que sua mente tem que ser muito aberta, principalmente a perdão, e o que você vê como ser humano ou não...
Enfim, indo do passado ao presente, meus pais nunca tiveram um relacionamento muito bom, desde que eu me entendo por gente, e estou falando disso porque é o que eu penso que pode ter provocado algo em mim do que vai vir a seguir... desde que eu me entendo por gente eles sempre brigaram, meu pai é muito mulherengo e minha mãe era bem menos "fogosa" que ele, e o casamento não deu muito certo, nunca vi meu pai bater nela, mas a pior briga que eu já vi foi ele ameaçando bater nela, mas isso nunca aconteceu, e eu não queria que eles terminassem de jeito nenhum até os meus 14/15 anos mais ou menos, pra mim era como se fosse o fim do mundo, depois eu entrei em uma escola técnica/ensino médio e vivia lá porque era muito tempo estudando e em uma cidade vizinha, conheci uma garota 2 anos mais velha que eu, foi a primeira pessoa que fiquei e assim que ficamos a primeira vez ela me pediu em namoro eu aceitei, não sei bem porque, mas foi indo, meu pai foi pra são paulo trabalhar porque tinha mais oportunidade (sou do rio de janeiro com minha mãe) e vinha as vezes 1 ou 2x por mês só visitar a gente, então o casamento foi só piorando... mas meu pai já tinha traido minha mãe antes e ela "perdoou" uma vez. Agora entra outro problema, eu não sei o porque, mas eu comecei a exercer um relacionamento tóxico/abusivo com essa garota que eu namorava, ela fazia tudo por mim me amava de verdade, e eu não conseguia confiar de jeito nenhum! E eu fui doente demais, fiz ela passar por coisas horriveis, a mãe dela controlava ela também, e eu também, e acabei brigando com a mãe dela (só discussão), enfim, mas a minha namorada foi a que mais sofreu, sério, são coisas terriveis, durou 4 anos nosso namoro, mas eu só ia piorando nas humilhações a ela,principalmente quando terminei a escola e fui pra faculdade em outra cidade, já fiz ela passar papel higienico no rosto, etc, inclusive já cheguei a agredir ela fisicamente (especificamente dei um tapa no rosto, não foi forte pra deixar marca nem nada disso, mas mesmo assim é TOTALMENTE errado, e eu nunca mais quero repetir algo do tipo), durante esse tempo meu pai engravidou outra mulher em SP minha mãe descobriu e eles finalmente terminaram (e eu agradeci por isso, não aguentava mais o relacionamento deles), uns meses depois a minha ex namorada finalmente se ligou com a ajuda das amigas dela e etc, e eu acabei terminando com ela por uma besteira minha e ela não voltou mais, e cortamos o contato dali, a partir daquele momento eu fui instantaneamente pro psiquiatra/psicólogo e comecei a frequentar bastante, eu passava mal durante meu relacionamento também por ansiedade de vomitar, ter caimbra no corpo todo, entortar ir pro hospital etc, isso já aconteceu varias vezes, eu acordava assim, em viagem de onibus sozinho, e era duro pras pessoas perto de mim ver aquilo, mas meus pais não gostavam de médicos de saúde mental, e só depois de tudo isso que eles resolveram que eu "deixar" eu ir. Eu ia bem na faculdade, porém nunca tive um sonho do meu curso em especifico, mas meu sonho era ter uma familia e só, nunca fui muuuito social, mas tinha uns amigos, até hoje tenho, depois que terminamos, eu não via motivo pra continuar na faculdade que pra mim era só pra dar um futuro pra minha familia que eu construiria, uma vez que fiquei sozinho perdi totalmente a vontade, tranquei voltei pra casa pra ficar com minha mãe, e ela também trabalha em algo bem simples e nunca teve vontade de melhorar na vida em questão de estuadr etc, e acho que acabei pegando esse jeito dela, mas é mais problema meu, n posso culpr os outros, hoje com 21 anos em plena quarentena com muito tempo livre eu não tenho emprego, não consigo lidar com os estudos EAD da faculdade (que tentei voltar) não tenho vontade, mas também não tenho vontade de fazer nada, eu queria um sonho, um motivo, algo profissional pra eu tentar aprender e melhorar, mas eu não consigo ter vontade de nada disso, chorei uma ou 2x e liguei pra uns amigos pra desabafar, mas sinto que já não tenho mais amigos pra isso... e também não adianta muito, porque eu quero uma solução, e acho que só tem como vir de mim, eu dei uma parada nos médicos mas já marquei psiquiatra/psicólogo novamente, tenho uma relação horrivel com meu pai desde então também, ele ja ameaçou brigar comigo e eu ameacei matar ele (falei da boca pra fora, bem eu acho) e tenho sonhos em que ele volta de SP pro RJ e sou obrigado a conviver com ele e é pertub ador, porque ele sempre foi uma pessoa mt grossa, e eu não sei mas tenho uma raiva guardada dentro de mim dele e não consigo lidar com isso, eu só queria esquecer q ele existe, mas sei que ele vai voltar aqui uma vez ou outra pra querer me ver, ver minha mãe, os pais dele q são meus vizinhos, etc. Enfim, a ansiedade eu consegui melhorar bastante com os remédios, os problemas de ser abusivo e tóxico eu falei tudo isso em diversas terapias, e acho que lido bem melhor hoje (só pondo a prática, eu namorei uma menina depois dessa mas foi por menos de 1 mes, foi bom pra nós apesar de ser curto kkkkk porque eu passei um tempo em SP assim que eu terminei o primeiro namoro, mas só piorou as coisas com meu pai lá e eu voltei e acabei terminando com a menina, na verdade foi bem consensual, ela gostou de mim mas também nem tanto pra namorar kk n tinha a magia, mas de verdade fui uma pessoa bem boa pra ela no tempo curto que tivemos e foi legal pra mim tentar me provar que melhorei mesmo que um pouco. Enfim é isso, não sei se pode ser curiosidade de vocês, mas eu me desculpei com minha ex 1 mes depois q terminamos, e ela tava bem melhor, acredito que possa ter buscado ajuda profissional depois de ter passado tantos problemas comigo, mas a ultima vez que vi algo dela, inicio desse ano (terminamos ano retrasado), ela aparentava estar bem, não nos falamos, eu até hoje me sinto culpado pelas merdas, mas isso n apaga o passado... enfim, eu to tentando reconstruir tudo, inclusive quero tentar esquecer isso com meu pai, mas primeiro preciso achar um futuro pra mim profissionalmente, e isso tá foda, porque preciso não depender mas da minha mãe, mas ajudar ela em casa que não é nada fácil nos dias de hoje...
submitted by biel2907 to desabafos [link] [comments]


2020.10.10 07:42 Oi1235 Fiz coisas ruins e não me arrependo, arrependo de não ter feito pior

Quando eu namorava com meu ex, nos 3 primeiros meses, era um namoro decente. Um conhecido meu deu em cima de mim 2 vezes, e infelizmente recusei porque achava que meu ex era fiel naquele momento. Me arrependo bastante, porque se fosse hoje em dia iria transar com ele sim. Meu ex não pensaria 2x em me trair. Depois dessa fase, ele fez várias coisas sendo cuzão comigo: fingia que eu não existia, não queria me assumir nas redes sociais (e desconfio que a minha cor seja o motivo), falava que ia me trair quando eu fosse pra casa da minha mãe nas férias, e ficava com a voz irritada quando eu ligava pra ele. Aí fiquei atraída pelo meu amigo, a gente flertava e eu achava o máximo, já que meu ex me ignorava, e confessei a ele, que era com ele que eu queria ficar, só estava com meu ex porque eu tava viajando (moro em outro estado e fui pra casa da minha mãe) e queria terminar pessoalmente.
No final além de flertar com outros, eu já fazia sexting, recebia e mandava nudes. A gota d'agua por eu ter terminado antes é que quando eu falei pro meu ex que viria, ele me disse que estaria de férias na casa da mãe dele (que é em uma cidade perto da que a gente mora) e que só voltaria quando voltasse a trabalhar: fiquei de saco cheio e terminei por mensagem mesmo. Depois descobri no facebook que ele começou a namorar outra antes de eu terminar com ele, ele a assumiu (comigo falava que não gostava de se expor em redes sociais, e meus amigos me alertaram que esse papo é estranho), ela é branca (a mãe dele reclamou de eu ser parda nas minhas costas e acabei ouvindo).
Quase o traí pessoalmente, estava com o tinder pra baixar, só não o fiz porque eu não tinha prova de traição dele. Mas me arrependo sim, devia ter o traído. Muita gente trai e o outro não fica sabendo. Não só o caso dele, mas o caso do meu pai me faz crer que 95% dos homens brasileiros trai (e muitas nem desconfia e não acaba descobrindo), então não vou ficar em relacionamento só para ser fiel, e nem namorar com qualquer Zé Ruela pra não ficar sozinha (como no caso do meu ex). Tenho uma grande vantagem de conseguir transar sem desenvolver sentimentos. Mas se eu namorar de novo vou trair sim, porque sei que o cara vai fazer isso uma hora ou outra. Pra mim chifre trocado não dói e se ele me tratar bem não vejo motivo pra ficar solteira.
Resumo: traí meu ex virtualmente e não me arrependo, arrependo de não ter traído sexualmente e ele começou a namorar com outra antes de eu terminar com ele. A próxima vez que eu namorar vou trair sexualmente e não tenho remorso nenhum com isso.
submitted by Oi1235 to Confessionario [link] [comments]


2020.10.10 07:03 marvinpls sentimentos pós término de namoro é um negócio complicado

todo mundo que sente que vai terminar um namoro já se declara solteiro antes mesmo de concretizar o término, e consequentemente fica ruminando pensamentos de "e agora? como vou me virar". por mais que sejam óbvias as respostas, elas ainda se repetem, afinal somos seres mais sentimentais que racionais.
pois bem... eu passo por isso.
me dei como solteiro namorando, terminei pensando nas piores coisas (eu sabia que ela iria estar com outro num futuro próximo, e que esse tipo de coisa era inimaginável pra mim), e por incrível que pareça, por tanto eu pensar e repensar nessas coisas, perdeu o sentido. eu já não ligava mais se ela ficasse com o outro, pois a parte importante do término foi o bem que aquilo me fez (eu fui muito prejudicado).
mas sempre entra aquela velha discussão do dever versus fazer...
estava eu e uns amigos conversando sobre término de namoro de um jeito descontraído, e eu acabei citando minha ex. um deles falou brincando sobre um stories que ela havia postado, e mesmo já prevendo tudo que poderia acontecer, das piores formas ("piores", hahaha), aquilo mexeu comigo de um jeito diferente de como imaginava antes na minha cabeça. O comentário sobre o stories nem foi algo maldoso, foi algo tipo "ah, eu realmente tenho visto ela saindo bastante com um pessoal aí no insta". só. poderiam ser amigos ou whatever, mas minha mente voou, mas incomodava de um jeito diferente do que quando estava pra terminar.
ps: desde que terminamos, eu removi literalmente tudo que tinha vestígio dela no meu alcance. não vejo status de lugar algum, e nem tem como ver pois ou mutei, ou dei unfollow, ou removi contato. não foi bloqueio nem nada.
enfim. é isso. ficou meio confuso, eu tô digitando enquanto sinto essas coisas, acho que isso me faz melhor. eu adoro essa comunidade.
submitted by marvinpls to desabafos [link] [comments]


2020.10.06 22:10 helloraphone Estou apaixonado, mas tenho medo

Em janeiro deste ano, terminei um relacionamento de 11 anos e meio que me fez sofrer demais. Sofri tanto que terminei por telefone dizendo "estou encerrando esta ligação e nosso relacionamento". Desde então, nunca mais falei com o ex e minha vida segue normalmente. Mas que ano errado para terminar um namoro e ver as possibilidades, não é mesmo?
Desde então, estou no Tinder, saí com alguns caras.
Logo depois do carnaval, dei um match FODA. Era um baiano que passou o carnaval em São Paulo e tinha acabado de ir embora para a Bahia. Chama-se Theo, tem 28 anos, é de Áries com ascendente em peixes. Ele programava passar o aniversário dele, em abril, em São Paulo. Como sabemos, os planos foram por água abaixo, mas mantivemos o contato e nos falamos quase sempre desde então. Somos muito sinceros um com o outro, temos o mesmo gosto musical, temos assunto que não acaba mais, ele gosta de cozinhar, eu também, além de ser 100% meu estilo fisicamente. Chegamos a fazer chamada de vídeo de mais de três horas de duração sem ver o tempo passar. Agora, ele pretende vir para São Paulo em novembro, no entanto depende do processo seletivo de uma pós-graduação para isso acontecer. Esta seria a chance de nos conhecermos pessoalmente e provar se nossa química bate mesmo.
Com a pandemia, em Abril, vim para o interior de São Paulo resolver umas coisas e apenas voltei para a capital para resolver algumas coisas, mas estou aqui quase que direto desde então. Até conheci algumas pessoas e alguns deles viraram amigos, pois não gostaria de me comprometer, já que tinha o Theo como principal pretendente.
Só que em Junho conheci o Thiago (mudei o nome pois a cidade é muito pequena e só ele tem o nome real dele aqui), nascido aqui na cidade, com 28 anos, áries com ascendente em escorpião. O tipo dele me agrada demais, mas nem chega perto do estilo do Theo.
O que era para ser apenas uma trepada, acabou meio que saindo do controle. Sentimentos aflorados por conta do isolamento, um ótimo encaixe na cama e acontecimentos diversos (o pai dele faleceu pouco mais de um mês depois de nos conhecermos) fizeram com que nos uníssemos mais e me despertasse sentimentos que eu não esperava. Frequentamos a mesma religião, somos da umbanda, vou ao terreiro que ele vai mais de uma vez por semana, conheci os irmãos dele da casa, já convivo um pouco com todos os amigos dele. Ele se declarou muito para mim e eu sempre tentei puxá-lo para o chão, para não se iludir - afinal, tenho o Theo ainda como prospect.
Viajei para São Paulo por alguns dias e, antes de ir para lá, Thiago conversou comigo dizendo que era melhor pararmos naquele momento. Eu concordei. Mas, otário que sou, acabei me apaixonando e ele assumiu que só estava com medo de se envolver ainda mais. Quando voltei, continuamos a nos ver e seguimos o baile.
Apesar das afinidades com Thiago, ele tem alguns comportamentos que não me agradam. Ele usa maconha com frequência, o que já não ligo mais, mas chega a usar drogas mais pesadas eventualmente, tem um pouco de ciúmes e nas últimas vezes foi um pouco mais hard no sexo, o que chega a me machucar, mas sempre peço para ele se controlar - e ele se controla. Só que eu adoro sexo oral, e ele não faz em mim, apenas eu nele.
Recentemente comentei com uma amiga da família daqui da cidade com quem eu estava me relacionando e ela chegou a falar que ele foi até preso. Cheguei a fuçar sobre a vida dele e encontrei, de fato, esta informação. Mas aparentemente foi uma situação de desacato, o que, para mim, não parece tão grave, principalmente levando em conta o fato de ele ser negro e a cidade ser um forte reduto racista, com histórico nazista, etc.
No penúltimo final de semana, fomos para uma cachoeira aqui mesmo na cidade. Conversamos um pouco, ele me confessou continuar com medo de se envolver, mas disse que conversou com a Pombagira da mãe do terreiro que frequentamos, e ela disse que nossos caminhos se cruzaram para não se separarem mais, mas não liguei tanto pra isso, pois acredito que nós mesmos traçamos o nosso destino, dentro do nosso karma e das possibilidades que temos.
Depois que fomos embora da cachoeira, eu vim para a minha casa, conversamos coisas agradáveis pelo WhatsApp, sobre como tinha sido o dia, ele me mandou as fotos que tiramos (primeira foto juntos em três meses nos vendo) e pediu para que eu olhasse o status dele (os stories do WhatsApp). Aí que me deparo com a nossa foto e a legenda "o dono do meu <3", seguido de um print da conversa que estávamos tendo, em que eu agradecia pela oportunidade de conhecer coisas novas (sou super urbano e nunca tinha ENTRADO em uma cachoeira até então).
Essa publicação dele me deixou surtado, pois não esperava que ele fosse revelar para a cidade toda nossa relação e, de quebra, fazer uma declaração para mim para todos os amigos DELE verem (ainda bem que não temos amigos em comum).
Naquele mesmo dia, ele foi para um bar com amigos, desapareceu completamente até segunda-feira, quando dei um puxão de orelha nele por conta destas atitudes, o que influencia principalmente as atividades religiosas que praticamos, que requerem um período de resguardo, sem drogas, evitando o álcool e também sem sexo.
Esta semana nos encontramos novamente para finalmente ficarmos juntos um pouco. Não transávamos há algumas semanas e não estávamos com tempo para ficarmos um tempo considerável juntos. Só consegui encontrá-lo às 19h de sábado, transamos e não era nem 20h já tinha amigo mandando mensagem para irmos para o bar nos encontrarmos com ele. Eu realmente esperava que fôssemos passar um tempo juntos de verdade. Mas, no bar, eu quase não tenho atenção, ele facilmente exagera nas doses, mistura bebidas. Para ajudar, um dos amigos dele estava com cocaína e cheguei a suspeitar que ele teria cheirado também. Imediatamente após minha suspeita, o levei para um canto e joguei a real: "enquanto tiver maconha e álcool, eu aceito. A partir do momento que você passar deste ponto, eu não estou mais aqui". Ele disse que não tinha cheirado, decidi por acreditar nele.
Nas duas únicas vezes que fui para o bar com ele, confusões aconteceram. A primeira, ele se alterou com os amigos e eles começaram a discutir entre si. Na segunda, um dos amigos exagerou na dose, e ele ficou ali para controlar a situação (mas sempre com discussão e atitudes exageradas). Ambas as vezes, eu apenas assisti, de longe, pois bebo muito pouco e mal conheço aquelas pessoas, mas entendo que não sejam as melhores companhias. Soube que um deles, que namora, faz bicos de garoto de programa escondido do namorado para "complementar e renda". E os amigos acobertam.
A questão é que quando estamos juntos, ou nos dedicando à nossa religião, ele é uma pessoa completamente diferente. Dócil, carinhoso demais. E eu me apaixonei por esse Thiago. Só que os demais pontos me chateiam demais e não sei como abordar isso. Sou muito inseguro por conta do meu antigo relacionamento e tenho medo de estar cometendo erros também e não enxergar (estou certo que nenhum dos meus erros são como os descritos acima).
No último sábado, dia da confusão com um dos amigos que exagerou na dose, quando tudo se acalmou, mas ele ainda estava alcoolizado, disse que me ama. Eu retribuí as palavras porque estou certo de que este é o meu sentimento - e não preciso estar bêbado para colocá-lo para fora.
Só que no meio de tudo isso eu estou com medo. Meus amigos falam para eu viver o momento e não me prender à hipótese de conhecer o Theo quando ele vier para São Paulo, ou eu ir pra a Bahia.
Estou me prendendo a essa possibilidade quase remota da vinda do Theo para cá?
Acham que devo ser sincero com o Theo, como sempre fui, e explicar para ele o que está acontecendo, mas tentando deixar as portas abertas?
Como posso expor o que me incomoda sem parecer uma tia mandona?
O fato de eu ter saído de um relacionamento conturbado me dá muito medo de entrar em outro tão pouco tempo depois - e no meio de uma pandemia.
Vivo o momento com o Thiago e deixo ver o que rola?
Agradeço muito se me ajudarem.
submitted by helloraphone to desabafos [link] [comments]


2020.09.30 13:42 DarkDollynho Finalmente Criei coragem de postar... Senta que lá vem história.

Eu tenho acompanhado a comunidade faz algum tempo, e antes de escrever o que preciso quero agradecer por vcs existirem e estarem dispostos a compartilhar e receber historias de todos os tipos e cantos.
Vamos lá!
Sou o clássico guri dos anos 90 que vibrou com o penta, jogou super Nintendo e agora ta beirando os 30 anos.
Sofro com depressão e ansiedade desde que me entendo por gente, sinceramente não sei se vem da situação familiar ou se é algo crônico.
A real é que meus pais (como boa parte das famílias dos anos 70,80 e 90) não se amam e nunca se amaram (muita gente se juntava por necessidade mesmo) e acho que isso pode ter influenciado um pouco na forma como vejo o mundo.
Meu pai tinha um casamento, do qual ficou viúvo e desse casamento 4 filhos (3 usam drogas e 1 desapareceu).
Ele então se casou com minha mãe e eu nasci (em seguida outros 2 irmãos), convivi com 1 dos meus irmãos por parte de pai que sempre deu problemas, desde uso de drogas, porte de arma, roubos, etc.
Bom exemplo foi algo complicado durante a infância, pois minha mãe vivia tretando com meu pai por conta desse meu irmão, que não é filho dela, até entendo.
Meu pai sempre desconfiou que minha mãe havia/estava traindo ele, e desde os meus 8 anos meu pai me usava como psicólogo dele, desabafando e jogando todo tipo de pensamento na minha cabeça.
Eu era bem religioso (não sei se era uma fuga) e cresci com isso, entre caraminholas da cabeça do meu pai e tentar ser uma criança.
Eu tbm fui abusado por um cara conhecido da família. Não quero entrar nesse mérito.
Sempre apanhei muito pra aprender matemática (nunca aprendi de fato) enquanto convivia com meus irmãos e tal.
Quando cheguei nos 16 anos mais ou menos a aposentadoria do meu pai foi cortada, ele já com idade avançada e minha mãe tbm, meti a cara trabalhar.
Pagava meus próprios cursos e comia 1 pacote batata palha no almoço pra economizar dinheiro.
Passei por empregos porcarias, que nem vou adicionar a historia, mas que tenha certeza que contribuíram negativamente na minha vida.
Conheci minha ex namorada na igreja, ficamos juntos por muito tempo.
Eu sempre quis ser o namorado perfeito, daquele que dizia: "se minha namorada não pode ir comigo, aquele lugar não eh pra mim." (talvez um erro sobre individualidade)
Foram 8 anos bacanas, entre altos e baixos na minha família sempre coloquei minha ex em primeiro lugar.
Trabalhava pra ela poder estudar e fazer faculdade(eu tbm estudava), levava ela pra todo canto quando precisava, ajudava com trabalhos, treinava ela pra entrevistas, pagava cursos...
Até que conseguimos entrar na empresa dos sonhos (ela primeiro, eu dps) de qualquer pessoa da área de TI (ambos na msm empresa)... Volto nesse ponto dps, muito importante.
Nesse meio tempo uma das minhas irmãs drogadas por parte de pai apareceu, com 1 filha recém nascida... Ela estava presa e perdeu a guarda da criança.
Então lá vai eu ajudar meu pai a conseguir a guarda, entre visitas a outro estado pra ver a neta e dinheiro para advogado. (o advogado morreu durante o processo mano)
Conseguimos a guarda, minha irmã saiu da cadeia e fez da nossa vida um inferno (ainda faz, ainda estamos criando uma criança que não tem pai e tem uma mãe drogada).
O relacionamento dos meus pais que já era ruim, piorou, eu no meio dessa merda toda já tinha tentado o suicídio 2x...
Nessa época comecei a perceber que minha ex não se preocupava comigo como eu me preocupava com ela, ela não se importava com minha saúde mental, não se importava com a minha pessoa, a sensação era que ela tinha se acostumado seja com a boa vida, seja com a constância que a vida tinha tomado.
Eu tinha juntado dinheiro para irmos pra outro país fazer intercambio, pensava em pedir ela em casamento la, 9 anos de namoro já era bastante... Ela não se empenhou em absolutamente nada, parou no tempo. quando ela não conseguiu o visto simplesmente não se importou.
Ela tinha arrumado um amigo na empresa, e foi aqui que a merda bateu de vez no ventilador.
Ideias de balada gay entre ela e o amigo apenas (ele assumidamente gay), viagens entre apenas os dois. Eu concordava, mesmo me remoendo de ciúmes por dentro. Sempre prezei pelo "Eu confio, eu a conheço". (meus amigos diziam que eu era otário por tratar ela tão bem, fazer de tudo)
Nesse tempo eu já fazia acompanhamento psicológico e psiquiátrico (minha psiquiatra era mais amor que minha psicóloga).
aguentei quase 1 ano disso, desistimos da viagem, comprei 1 casa ao invés de viajar (ela nunca quis sequer visitar o imóvel), após uma transa ela simplesmente começou a chorar e disse: Quero terminar.
Foi bizarro. Absurdamente bizarro.
Eu estava no extremo na minha vida pessoal com minha família, e meu porto seguro era o relacionamento (não dos melhores, mas estava ali há bastante tempo), neguei propostas de emprego fabulosas pra ficar com ela e isso agora?
Decidi seguir em frente, tendo crises de pânico e ansiedades como nunca antes, com a família SEMPRE dizendo, isso é falta de Deus, isso é frescura, esses remédios estão te matando, isso é falta de vergonha na cara, conheço pessoas que se mataram e quem se mata não avisa....
Nesse meio tempo minha psiquiatra (que era melhor que minha psicóloga) morre em um acidente de carro, ainda não superei.
3 semanas depois minha ex assume o namoro com o "amigo", moramos a 1km do outro, trabalhamos em uma empresa em outra cidade e temos que pegar ônibus juntos e trabalhamos no mesmo prédio com diferença de 1 corredor.... Se ela me traiu ou não tem a ver com a índole dela e não com a minha. Eu segui em frente, não sinto nada por ela, mas a depressão e a tristeza parecem não ter fim. Já era grande durante o relacionamento. Sozinho, sem ter com quem contar (é difícil conversar sobre isso com as pessoas) tem piorado muito.
hoje me encontro aqui, sem forças pra conhecer pessoas novas, sem forças pra por fim ao meu sofrimento, sem forças pra acreditar no setembro amarelo de pessoas falsas, sem forças pra ser eu.
Desculpem o texto grande, muita coisa ficou de fora pois acho que o texto já está cansativo, mas o problema é que eu estou cansado tbm. De remédio, de lagrimas, de tristeza...
E me sinto pior por ter superado o mundo, alcançado o sonho de muita gente com emprego bom, falar outra língua, ter casa própria, moto...
Me sinto mesquinho por não dar valor a nada disso depois de tudo que passei...
submitted by DarkDollynho to desabafos [link] [comments]


2020.09.24 02:54 Quirky_Leadership351 Seriado em forma de livro

Já imaginou ler o seu seriado favorito? Algumas editoras tornam isso possível através de livros com histórias direto dos principais seriados de televisão. O único problema é que normalmente os episódios são simplesmente os roteiros de episódios já televisionados, o que acaba com a surpresa para os fãs que já acompanharam as histórias pela televisão ou streaming.
Pensando nisso, uma editora de ebooks decidiu lançar diversos livros que seguem o mesmo formato dos principais seriados de televisão, porém com histórias e personagens nunca antes vistos. A saga Jardins do Imperador conta a vida de um grupo de amigos que vive no mesmo condomínio em Melbourne – Austrália, e acompanha diversos momentos em suas vidas. Da adolescência a maturidade, as histórias descrevem momentos como o primeiro amor, festas, colégio, universidade, o primeiro beijo, a primeira vez, namoros, casamentos, acidentes, despedidas. Ou seja, tudo que não pode faltar em uma boa história.
O primeiro volume da série se chama “Descobrindo o Amor” e foi lançado há poucas semanas no Brasil. O volume apresenta os personagens Luke, Julian, Zach, Mandy e Kim, e começa a acompanhar a vida de cada um através de uma narrativa simples por se apoiar no formato de roteiros e seriados.
O primeiro volume pode ser comprado por R$6,90 pelo site: https://www.editoravidgam.com/
Os demais volumes da saga têm lançamento previsto ainda para esse ano.
submitted by Quirky_Leadership351 to u/Quirky_Leadership351 [link] [comments]


2020.09.23 14:03 agupheus Pais tóxicos e como destroem a vida de seus filhos

Olá meus amigos, escrever me conforta e preciso colocar esse texto em um lugar que outras pessoas leiam, no diário não iria me conformar.
Desde do começo desse ano, muito antes da pandemia eu me isolei, terminei namoro e cortei contato com todas as pessoas que estavam em minha vida. Posso dizer que não tenho ninguém pra conversar. Possuo uma rotina muito sólida e produtiva, a qual vem me ajudando muito em minha emocionante e fascinante jornada nessa existência caótica e confusa. Eu tenho 20 anos, e infelizmente ainda moro com meus pais, e meu irmão; ele tem 25 anos, e também sofreu e sofre muito na mão dos nossos pais.
Desde muito cedo, sempre acordávamos nos tapas, nos gritos - sofriámos humilhações dia após dia - antes do café da manhã - as brigas eram a sobremesa.
E nada mudou desde então, minha mãe briga por qualquer coisa, os gritos dela certamente dá pra ouvir à quilômetros de distância - a voz dela me corroe por dentro...
Eu e meu irmão estamos na faculdade, porém, infelizmente desempregados - e isso é um ponto crucial diante das humilhações que nosso pai impõe a nós todos os dias, somos bombardeados com todas as energias deles em destruir nossa autoestima, nossos planos...
Viver nessa casa é um inferno - certamente o inferno passa longe de tal ambiente - é muito difícil segurar as pontas e manter-se firme pra não cair numa depressão profunda convivendo com meus pais.
Agradeço muito o apoio financeiro deles, mesmo eles passando na cara e nós humilhando. Mas em relação ao apoio emocional? Isso nem se fala, eles não são nem de longe pessoas a qual eu possa tomar como referência. É muito triste ver tanta ignorância, ódio, rancor, arrogância... há tantos adjetivos pra nomear às ações deles.
Eu venho estudando pra concurso, e procurando um emprego, não aguento mais viver nessa casa... não aguento mais todos os dias escutar as merdas que eles falam...
Eu sempre falo pra eles que eles não deveriam ter tido filhos, que eles não souberam criar a gente; que eles fizeram muito mal pra nós dois.
ELES NUNCA ESTÃO DE BOM HUMOR. Eles brigam por qualquer coisa, há discussão todos os dias, todas as horas aqui dentro dessa casa; é um absurdo, é triste, é desprezível...
O engraçado é que eles criaram a gente pra ser dependente deles; quando surge a oportunidade de sairmos, morarmos fora, eles fazem de tudo pra que der errado; já tive muitas chances de sair de casa, mas eles sempre conseguiam impedir... é incrivelmente aterrorizante a capacidade que meus pais tem de destruir meus planos.
Eu tento levar tudo com bom humor, ser otimista e continuar me esforçando.
Sair dessa casa está sendo o objetivo número um, dentre meus planos.
Eu sinto uma tristeza muito grande só de imaginar chegar na idade do meu irmão morando com meus pais. ACREDITO MUITO que isso não irá acontecer; sei que vou conseguir sair dessas garras, vou superar toda essa merda.
E quando eu sair, vou sumir da vista deles, vou embora de vez, pra nunca mais... irei, como mágica, desaparecer... como se eu nunca tivesse existido pra eles...
Pensar nessa possibilidade me deixa feliz, sumir, ir pra bem longe... de forma que eles não passam nunca mais me ver...
Grato pela atenção;
Desejo um grande dia a todos!
¯\_(ツ)_/¯
submitted by agupheus to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 22:56 dhiguin Me sinto INSEGURO

Já tem um tempinho que não me sinto bem comigo mesmo, eu não era assim antes, não me incomodava com o que as pessoas iriam pensar de mim, só que isso mudou, agora tenho vergonha de me expressar, de demonstrar qualquer sentimento ou coisa parecida, sinto como se as pessoas me julgassem o tempo todo, por isso tenho me mantido neutro em qualquer situação, até mesmo em relacionamentos. E é claro que isso vem me prejudicando. Parei de ir a festas com meus amigos e, quando vou, fico muito nervoso por qualquer coisa. Isso foi um dos principais motivos de meu namoro ter acabado. Pois, no dia que eu ia na casa da minha ex, pedir ela em namoro a família, tive uma crise de ansiedade e passei muito mau, acabei desmarcando, ela não parecia ter ficado muito chateada, bem, foi o que eu achava, na verdade ela ficou muito chateada pois achou que eu não queria um relacionamento sério, e acabou terminando comigo. Toda vez que olho pra ela (o que acontece muito pois moramos numa cidade pequena) eu lembro desse momento e penso que poderia ser diferente. Ainda não superei esse termino (apesar de fazer muito tempo), isso tem sido um dos principais motivos de eu querer mudar esse meu jeito... Só não sei como vou fazer isso.
Ps: Desculpem se o texto tiver alguns erros de ortografia, estava meio nervoso quando o escrevi.
submitted by dhiguin to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 16:00 Triiggerr Tente não ser social awkward

Antes de mais nada desculpa pelo termo em inglês. Eu não sei se existe um nome pra isso em português.
Minha história começa ha 3 anos. No final de 2017 meu cachorro morreu e eu era muito apegado a ele e eu fiquei sem rumo e sem motivo pra continuar vivo. Eu só continuei indo pela minha mãe e pelo meu pai senão eu tinha me matado.
Alguns meses desse estado mental de desistência eu já tinha perdido basicamente toda minha habilidade de socializar e interagia basicamente com 3 amigas na minha sala e não conseguia ter um diálogo com mais ninguém direito.
Até que em abril de 2018 eu conheci uma menina e eu conseguia conversar com ela de verdade e eu me apaixonei por ela e a gente começou a namorar. Eu fiz tudo que eu podia e tudo que eu não podia por ela. Gastei Todo o dinheiro que eu tinha, peguei dinheiro emprestado, paguei no crédito sem saber como q eu ia arrumar dinheiro pra pagar o boleto no final do mês, Briguei com meus pais, parei de conversar com uma menina q ela não gostava, fiz coisas que eu não gostava/não queria. Isso tudo ao longo de 2 anos e meio de relacionamento.
Por mim tava tranquilo por que eu amava ela e as outras coisas não eram tão importantes mesmo. Porém além disso tudo eu também parei de interagir muito com meus amigos quando eu não estava na escola por que eu ficava sempre com ela fazia tudo com ela e etc.
A consequência disso foi que atualmente, depois de formado no ensino médio, eu interagia basicamente só com a minha namorada, conversando muito raramente com meus amigos que são um total de 4 pessoas sendo que a pessoa que converso mais fequente eu falo tipo uma vez a cada 15 dias ou algo assim.
Pulando pra sábado passado minha namorada falou comigo que ela me amava apenas em X circunstâncias, que ela não me apoiaria a fazer tudo que eu achasse correto e que eu só era a prioridade dela a não ser que ... (qualquer coisa que ela decidir). Ela já tinha apresentado esse comportamento antes de priorizar outras pessoas e outras coisa a cima de mim mas eu não ligava por que eu amava ela. Isso que ela falou já me fudeu com todas as forças mas eu não fiz nada só fiquei triste e com raiva.
No domingo ela terminou comigo. Falou que não tava dando certo pra ela a um tempo ja e que achava que era a melhor coisa a se fazer.
Agora vem a explicação do titulo. Tente não ser social awkward. Como eu só conversava com ela e não interagia com mais ninguém direito eu estou completamente desorientado. Meus pais e minha irmã tão me dando uma força daora e eu consegui conversar a respeito com uma amiga minha mas eu simplesmente tô abandonado sozinho no mundo. Por que eu vejo as coisas penso as coisas e quero contar pra alguém mas não tem ninguém pra contar por que eu só conseguia conversar mesmo com ela. Ontem eu tive uma crise de ansiedade que durou tipo a tarde inteira por que eu tava completamente perdido no mundo e na minha vida.
Além disso tudo eu não posso fazer nada que eu gosto o que piora tudo infinitamente. Eu sou músico violonista e pianista e sou programador. Porém no último mês eu tenho tido um problema na mão que acredito ser tendinite que toda vez que eu vou tocar ou mexer no computador minha mão começa com uma dor insuportável (Mas já marquei um fisioterapeuta e vou consultar essa semana ainda). Então nesse momento eu tô sem ninguém pra interagir direito e sem poder tocar ou mexer no computador o que piorou tudo.
O que ta me "segurando no lugar" são meus pais, minha irmã, meu cachorro(que veio pra minha casa ano passado) e a amiga que eu consegui conversar. Mesmo assim eu tô tendo crise de ansiedade e começando a chorar do nada e ficando olhando pra parede pensando que que aconteceu e pensando como que o universo gosta de me fuder por que no último ano tudo deu errado pra mim menos o meu namoro e agora o namoro deu errado também.
A moral da história é não pare de interagir com seus amigos em nenhuma situação. Não baseie toda sua sanidade e paz de espírito em uma pessoa por que a gente nunca sabe o que vai acontecer. Eu queria e acreditei que eu ia casar com ela e a gente ia ter filhos e uma família e ficar juntos pra sempre mas o universo tinha outros planos pra gente.
Tente ao máximo não ser social awkward por que isso doi muito e eu espero que mais ninguém tenha que passar pelo que eu passei ontem.
Desculpa pelo texto gigante eu não consegui falar sobre isso com mais ninguém direito e aqui me pareceu um lugar apropriado.
submitted by Triiggerr to desabafos [link] [comments]


2020.09.21 17:49 Pedrabionica Perdendo a paciência em ajudar

Vou tentar ser o mais sucinto possível, mas é o seguinte: Uma pessoa muito próxima terminou o namoro há 5 meses(iniciativa do parceiro)e desde então tá com depressão,já vai em psicólogo antes disso e começou a ir no psiquiatra pq tava muito mal, tem tomado remédio e tals. Até ai, ok. O problema é que essa pessoa tá até hoje com esperanças do ex voltar, fica perguntando pra mim e pra outros amigos se achamos que isso é possível (e a resposta óbvia é não), além de repetir várias vezes que ainda ama o ex, e continua a stalkear.. No começo tava super compreensível, é uma fase difícil, mas agora tudo que falamos pra ajudar essa pessoa ela não escuta, pois tudo que se fala pra ajudar sempre tem um impedimento ("não tenho tempo" ou "não tenho energia" ou "ainda amo meu ex nada vai adiantar"). O problema é que isso tá ficando super chato, não dá pra achar que ela tá fazendo algo normal, não dá pra concordar com essa estagnação que ela fica... Aahhh. Muito ruim,posso estar sendo um completo babaca por pensar isso mas acho que a pessoa tem que dar o primeiro passo, se não vai ficar pensando nisso a vida toda e vai perder qualquer oportunidade de encontrar alguém
submitted by Pedrabionica to desabafos [link] [comments]


2020.09.18 19:01 HappyPressure8291 Razão ???

Então, recentemente eu e meu namorado temos desgastado bastante a relação com discussões relacionadas a insegurança, paranoia e etc. E penso que por agir muito pelo emocional, eu acabo sendo a mais imatura da discussão, não é fácil lidar com isso, pois essa imaturidade atinge muito mais a minha pessoa, visto que ele super compreende eu estar sendo emotiva e achar que não aconteceu nada de mais. Um exemplo bem prático disso é o fato de ontem termos discutido e ele foi dormir tranquilo e falando que me ama mesmo eu super brava e pedindo pra ele tirar a foto de perfil e aceitar que vamos terminar por que não tem muito o que se fazer, enquanto que fiquei a madrugada toda pensando em muita coisa e fazendo testes de insegurança, de saber se o parceiro é traíra. Bom depois de tudo que eu disse acima, já devem imaginar quem é o mais inseguro da relação, ah também sou a paranoica(óbvio) e sou para a surpresa de quase ninguém. Muito ciumenta, e foi por esse motivo em especifico que brigamos, eu não consigo ver esperanças na minha evolução, e sinceramente, o que era um ciúme normal é que tá evoluindo pra outras coisas piores(possessão e etc. ), talvez por que tenho andado mais emotiva que antes nessa pandemia(no qual muita coisa ruim tem acontecido na minha casa) não sei... Mas fiz essa postagem por que estou muito indecisa racionalmente sobre uma questão. Uma amiga nova chegou na área, que na verdade já era colega a algum tempo, mas só agora que essa amiga terminou o namoro eles conversam com certa frequência e bastante intensidade(fotos, memes, vídeos, fofoca, conversa sobre a vida), incluindo muito esforço da parte dela para manter a amizade com ele. Engraçado é que acabei me envolvendo com ela também, ela é uma ótima pessoa, mas mesmo assim me sinto muito insegura, sei que ela tem outras pessoas na vida dela, mas não entendo a insistência em ser nossa amiga, pois nem parece que ela gosta mesmo de mim, e o meu emocional com certeza afirma que ficaria muito feliz com o termino da amizade entre eles. Mas racionalmente sei que isso é muito abusivo, eu controlar algo que eu nem deveria. Mas para frisar minha insegurança, tenho que dizer que me assusta muito quando ela diz coisas como ''eu me apoio na amizade com um cara e acabo gostando dele, sempre fiz assim, supri minha carência com outros caras'' isso é ameaçador pra mim sabe?... Eu só consigo imaginar nela vendo o quanto meu namorado é um cara bacana e acabar gostando dele e tende real motivo para não gostar de mim e só me manter por perto por falsidade sabe?. O que aconteceu com ela no termino do namoro não desejo a ninguém, ela ainda tá muito confusa, e eu queria que ela não se sentisse assim e de certa forma culpada, então no começo até apoiei bastante a amizade dos dois, falava pra ele perguntar se ela tá bem, tentar distrair ela... me arrependo disso, eu não devia ter responsabilizado ele por algo que eu mesma poderia ter feito por ela. Mas eu queria que ela se sentisse acolhida por nos 2, e acho que é assim que ela se sente agora, mas não posso negar que ainda vejo como ameaça, não sei, talvez ela tenha mudado o suficiente para não ficar mais querendo depender emocionalmente de alguém assim... mas vai saber? isso nem é algo tão ruim quando esse alguém tá disposto a te ajudar de verdade a se sentir segura e tals. Foda é que eu não consigo estudar, pensando que vou passar muito tempo fora e que ele vai tá tão envolvido com ela, por que coincidentemente ele tava no seu intervalo de estudos, e acabou compartilhando opiniões parecidas com ela e etc... sla... muita paranoia pra descrever aqui, mas eu realmente não sinto que estou pronta pra aceitar essa amizade. Ele e ela, que eu conheço bem, combinam mais do que eu e ela ou eu e ele(ele é mais amigo dela). No jeitinho de ser, de acreditar nas pessoas, pensar o melhor delas kk. Eu não sou assim vey... já sofri demais com as pessoas pra isso, inclusive da parte desse namorado, coisas parcialmente superadas, mas que a gente ignora, e que, desde que não aconteça de novo, da pra manter a relação. Resumindo, essa gama de defeitinhos meus, me fazem ter certeza de que eu só tenho algumas poucas soluções racionais pra isso tudo, vou listar 3: 1- Continuar próximo dos dois(por que longe eu já não consigo aceitar gst dos 2, n qro parecer um monstro, só sou humana sabe: imperfeita, cheia de problema, depressiva, ansiosa, to carente e etc kkk) e me esforçar(mesmo que doa muito) pra acreditar(mesmo que seja difícil demais) que eles só serão amigos mesmo; 2- terminar o namoro e desejar muita felicidade pra ambos que foram meio que motivo do termino, juntos ou não e 3- fazer que ele se distancie dela por tempo indeterminado, mas se possível bem breve(gosto que ele tenha amigos, isso faz ele feliz), até que eu pense melhor sobre tudo, sem que eu precise me distanciar dele que é a pessoa que eu mais amo, alias a distância entre ela e eu nem é uma opção, mas pode ser sim consequência, só que de fato eu até gosto de compreender o significado que ela tem na vida das pessoas ao redor dela e vejo isso conversando com ela, o que é bom, já que meu namorado é um pouco sonso ao me dizer o que ele acha que ela significa pra ele, ele diz: ''não sinto nada'' mas até eu não consigo dizer isso aí. Sinto compaixão por ela, carisma da parte dela, simpatia e etc. Mas vale lembrar que tenho um pouquinho de medo, por que acho ela muito melhor que eu, só por ter essa essência e ela auto afirmar as vezes que consegue conquistar qualquer um com boa conversa, é mais ameaçador ainda, e pode ser bobo mas por mais que no começo eu achava fofo agora comentar ''que casal fofo'' e coisas similares a ''meu casal''(Vitão 2018), me causa pavor, kkkk brincadeirinha kkk. Raiva tenho também, mas só dele mesmo, por ser sonso a ponto de dizer também ''que tal nos usar essa metadinha de 3 com ela?''. AFF do nada, num momento nosso qnd estamos vendo fotos juntos e umas metadinhas DE CASAL pra usarmos. Na verdade, se eu não fosse tão insegura até que seria uma boa ideia, mas qualé, ele sabe como sou... acho que me desrespeitou nesse sentido, de ver que eu tava me esforçando pra não falar dela, pq sempre acabo desgastando muito a relação cm muita paranoia, e ele ir e falar dela, me deixa pensativa e séria de novo, pra compensar ele concordou com essa terceira opção minha ''3 fazer que ele se distancie dela por tempo indeterminado, mas se possível bem breve''. Que sinceramente seria a que mais me deixaria feliz, e aí gente, acham que se eu repensar, consigo equilibrar melhor a razão e a emoção? e talvez ache uma opção mais sensata do que essa última. Acham que estou sendo ciumenta em excesso? e que eu devo me responsabilizar sozinha(msm ele sendo um fator pra minha insegurança) por isso, não terminando mas dando um jeito. ME AJUDEM! EU QUERO SER UMA BOA PESSOA, sem isso eu não me sinto mais nada nesse mundo e posso querer acabar com tudo logo(eu sei que preciso de terapia), por que só vejo sentido naquilo que tem sentimento e minha vida se resume muito a ser boa pra ele, alguns amigos e pro meu doguinho que ele prometeu cuidar caso algo aconteça comigo. :) ''Por que não vou ao psicólogo? bom, não tenho grana, simples. Desde já agradeço a pessoa que ler esse texto enorme, tentei ser bem objetiva e clara sobre tudo, espero que tenham compreendido.
submitted by HappyPressure8291 to desabafos [link] [comments]


2020.09.18 17:16 Rafael8353 Talvez não era pra ser...

6 meses atrás eu conheci uma garota, ela é linda, inteligente, trabalhadora... Resumindo, ela é incrível. A gente começou a conversar e tudo mais, então fomos ficando cada vez mais próximos, começamos a se ver e descobri que ela é de igreja evangélica e que por causa disso ela não ficava com qualquer pessoa, ela ficava apenas se fosse para namorar. E eu concordei, afinal eu nunca tinha namorado antes, era algo que eu queria muito e nunca tive capacidade de ter em todos os meus 18 anos de vida. Então a 5 meses atrás nos começamos a namorar, foi um relacionamento complicado por causa da distância, nós somos de cidades diferentes e ainda tinha o problema da pandemia, isso ocasionou que a gente se viu apenas 1 vez durante toda a pandemia. Isso concerteza esfriou a relação para ela e tudo mais, mas como eu nunca tinha namorado ninguém antes, independente disso, eu tava feliz. E então começaram a ter as brigas, ciúmes e ainda discussões sobre a religião, eu sou católico mas não sou praticante, ou seja, não sou de ir na igreja. Já ela é evangélica e vai na igreja 4 vezes por semana. Ela disse que a gente não poderia namorar se eu não fosse na igreja com ela, eu como um bom namorado falei que iria, justamente para apoiar ela né, já que é algo que ela gosta e tudo mais. Desde que não precisasse me converter ou algo do tipo. Ela aceitou isso tranquilamente e então ficamos de boa. Mas aí ela mudou de opinião, ela disse que eu precisaria me converter se não a gente não poderia ficar junto, isso foi um baque para mim, por que eu teria que mudar totalmente as minhas crenças e tudo mais e foi um momento difícil demais para mim, foi muito difícil para mim engolir que eu precisaria mudar o que eu sou para continuar com ela. Mas eu mudei, pouco a pouco, mudei e acabei me "convertendo", mudei as minhas crenças e comecei a ir na igreja dela. Mas isso de mudar quem eu era começou a me matar por dentro, eu tinha que deixar de acreditar em coisas por que ela queria e isso me matava. Mas tudo bem, eu continuava levando isso e até mesmo mudei ela também, ela era uma pessoa muito estressada, ajudei ela a ficar mais calma e etc. A gente fazia muito bem um pro outro, eu amo ela de um jeito que eu nunca tinha amado antes, na verdade. Nunca amei antes, ela foi meu primeiro amor. Mas então começamos a ter muitas brigas, no início do relacionamento ela era muito estressada e a gente brigava muito, conforme o tempo ela foi ficando calma e eu que fui ficando estressado, chegou uma hora que as coisas começaram a ficar tóxicas, eu admito que eu mesmo fui tóxico porque no auge do meu ciúmes eu proibi ela de ir ver um amigo dela (que ela já tinha tido interesse amoroso e eles ficaram algumas vezes e fizeram algumas coisas), não sei se o que eu fiz foi certo. E do mesmo jeito ela foi tóxica querendo que eu apagasse comentários de garotas amigas minhas em minhas fotos e etc. Chegou uma hora em que a gente só machucava um ao outro, apesar de eu saber que ela me ama e eu amo ela. Não tem ninguém que me olhe do jeito que ela olha e eu acho que isso é o que mais me machuca. Por que fui eu que terminei, foram 5 meses de namoro mas eu cansei das brigas, dos ciúmes, de tudo. Saturou sabe? E eu sei que esse termino vai ser bom tanto pra mim quanto pra ela sabe, mas mesmo assim isso dói... A gente sempre tentava conversar e resolver as coisas mas não adiantava de nada, me dói ter que deixar ela. Me dói lembrar que as risadas, as conversas, os beijos, tudo isso nunca mais vai voltar. Eu não sei se fiz a escolha certa, eu só sei que isso tá me destruindo. Eu sei que ela me ama por que ela me fala e me prova isso e eu também amo ela, acho que isso é o que mais me machuca sabe? Saber que os dois se amam mas não dão certo. É, talvez não era para ser...
submitted by Rafael8353 to desabafos [link] [comments]


2020.09.15 03:47 Initial_Name85703 estou travando uma batalha interna cmg mesmo,

hi, tenho 17 anos e sinceramente eu não tenho mais forças pra continuar desse jeito.
meu teclado está horrivel mas tá ficando entalado e ...
desde cedo eu sempre fui uma criança muito tímida e em mais sensivel que as outras crianças, nunca fui de ter muitos amigos e eu realmente invejava todos que tinham muitos amigos, até amigos próximos q tinham muitos amigos antes de completar 14 anos minha mãe descobriu um cancer de mama, e pra ser bem sincero a vida vai desgastando com todo mundo, eu hj estou sem forças pra ajudar mimnha mãe, sou muito,muito apegado a ela mas eu senti muita saudade do que eu não vivi na minnha infancia, vontade de jogar bola. ter muitos amigos, sair pra beber cokm meus outros amigos adolescentes e com 15 anos eu arranje uma namorada que foi e [é bastante apoiada pelos meus pais (meu pai teve uma familia antes de nós e o filho mais velho dele é gay, isso sempre fragilizou o meu pai, apesar dele amar bastante ele) então era bastante incrivel, perdi minha virgindade com ela e vie e versa, mas na virada do ano de 2019 eu descobri q ela tinha me traido com outra pessoa, no desespero pra não ficar sozinho e voltar a ser eu mesmo, eu perdoiei, passando uns meses eu descobri outra, e outra, e outra que eu confirmei só recentemente, já trai ela, dps q eu descobri isso mas isso relamente não é pra mim,k enfim.
ela passava ferias inteiras cmg em casa e pela saude debilitada da minnha mãe ela sempre cuidou dela, bem mais que de mmim, no inicio de 2020 na virada do ano ela simplismente surtou e me fez passar um mico na frente dos meus familiares e eu passei por isso.
enfim, no inicio da quarentenaq ela veio passsar a quarentena cmg e foi muio bom, mas começou a ficar insuportavel a pessoa dela cmg, em uma noite nós estavamos conversando a luz das elestreas e ela perguntou sobre "se eu tinha vontade de fazer sexo a 3" disse que tinha curiosidade e tal mas foi isso,então ela passou semanas tentando convencer alguem a fazer isso conosco( ela é assumidamente bi) nunca liguei anto apesar da curiosidade, enfim cheou o dia 11 de julho era aniversario do meu avô em outra cidade e no´s fomos, chegando lá eu comecei a beber com os meus amigos e princicpalemnte o meu irmão, mas em um momento minha prima me chamou pra passsar batom nela pra nós irmos sozinhs pro quarto.
bom nesse ponto eu preciso voltar alguns anos pra contextualizar, eu namorava uma garota e ela era de outra cidade meu pai trabalhava fora então ele traza ela sempre q pode, não era um namoro assumido e era bem estranho mas nós estavams, mas minha namorada era muito próxima da minha prima, muito mesmo então eventualmente eu descobri q elas estavam ficando :)
ela namorava o primo da minha namorada ( game of thrones ) e um dia ela sumiu, e eu descobri q ela tinha traido o meu primo com outro cara, então eu me fiquei muito ruim, contei pro meu melhor amigo na epóca e ele espalhou a conversa, mas o namorado dela nunca soube
voltando, enquanto caminhava eu olhei pra tras e vi minha namorada vindo atrás de nós, soube, eu já imaginava oq ela queria, entrei no quarto e minha prma ficou de olhos fechados sentada eu olhei pra trás e ela estava no quarto me encarando quase me pedindo, então eu dei um beijo na minha prima, ela olhou pra minha namorada e elas comecaram a se agarrar na minha frente, minha namorada não disse nada mas minha prima dizia coisas como "tua boca e tão macia" "voces parecem sex education"e ela esfregava minha namorada então minha namorada diz "enfia.."eu exitei por um momento e ea pediu denovo e eu fiz, minha prima pediu pra parar e nós paramos, nos despedimos dali mas eu fui atras dela pra pedir desculpas e ela me ignorou e minha namorava pouco se importava, ela ficou com nó por um tempo e depois foi embora, no outro dia e fui na casa dela fazer outras cosas e eu aproveitei pra conversar melhor e ela disse q era melhor nós deixarmos esse assunto pra lá, viemos embora e na segunda feira eu encontro no twter dela ela dizendo q tinha sido estuprada por nós ,conou q tinha sido a força,etc...
poucos minutos dps minha mãe já sabia e enfim apartir dali meu mundo mudou, eu queria me defenderm mas eu não podia de jeito nenhum, ninguem me escutava, mnha mãe ligou pra cpnversar com ela pra saber de todo ocorrido mas eu não tava em casa tinha saido pra jogar volei, e o dia se passou, no outro dia meu pai levou minha namorada embora e eu fiquei só, minha mãe conversou com a minha prima por ligação e wwp,e no whatsapp ela escreveu" tia eu só fiz isso pq na epóca da #### eu estava me envolvendo com uma pessoa e ele simplismente contou pra todo mundo então eu queria q elesenisse como eu me senti" no tiwtter pouco tempo dps ela já estava debochado da situação "nâo vou denunciar #### mas eu vou destruir a vida social dele igual ele fez cmg :)" na verdade eram bem mas emojis de shitpost, e pra qualquer pessoa q se interessase ela contava a historia de debochava da situação, pouto tempo dps ela percebeu q tava falando algumas coisas dms e ela excluiu as postagens mas já havia se passado alguns dias e eu já tinha printado muitas coisas,minha famiia se duvidiu mas n durou muito lgo todo mundo estava do lado dela e com razão, não sou mais do tipo de ser merecedor de pena, ela disse q não queria mais falar do assunto e etc... passado um mes desde q eu tinha sido'CANCELADO" ela contou pra uma pessoa muito importante pra mim e eu publiquei o maximo q eu pud no meu tt tentando me defender, mas a essa altura eu já falava com umas 3 pessoas, ele ficaram irritados pq eu ainda falava daquele assunto e desde então tem sido ainda mais dificil sem eles, a mãe dela é umapessoa muito extrovertida com o resto da familia do tio q paga grades e grades de cerveja, enquanto nós somos bem mais reservados então naturalmente ele ficaram do lado dela,por causa do tratamento e traumas passados mamae tem depressão e por causa de tudo issso a depressão dela agravou e e la tentou e matar, mas nós somos mais reservados, soubemos puco tempo dps q ela tbm tinha tentado de se matar mas esssa n foi a °1 vez q ela tentou ela já disse no tt q já havia tentado se matar 60 vezes, e eu sei oq é querer morrer, desistir de tudo, se eu tentar me matar vai ser só a 1° tentativa e só mas ninguem se importaria ninguem quer ewscutar a minha versão e eu fico muito triste pq ninguem, ninguem sente falta de mm, me deixa arrasado pq quqando eu conto parece q isso é culpa da minha namorada mas eu sinto tanta falta dela, me deixca triste pq não é a 1° vez q ela difama alguem aleatoriamente, ela diz que odeia o cunhado dela por ser toxico,mas, toxico pq? não tem explicação o cara não sai nem do meo do mato, me sinto trise pq eu acho q tenho depressão mas eu acho tbm q seria desulmilde da minha parte achar isso assim, tbm repudio completamente assedio abuso estupro, tudo, tusdo issso e jogam um fardo desses ma minha costa, eu sinceramente não me matei pq é a minha mãe quem precisa de mim, eu simplismente odeio odeio odeio ela, e sinto muito se ela tiver depresssão mas eu não me importo mais , ela fez tudo isso e esperou o momento pra acabr cmg e ela conseguiu e ninguem vai querer simplismente abraçar minha causa, tbmme sinto horrivel pq parece que eu s´penso em im, mas toda vez q eu lembro disso me dá um peso mo meu peito. desculpa mãe mas eu não fiz isso.
submitted by Initial_Name85703 to desabafos [link] [comments]